sábado, 3 de outubro de 2009

De princesas, rainhas e bruxas más ...


Hoje sentamos para "tentar" lermos juntas o livro da Bela Adormecida pela 57º vez(rs).

Malu AMA seus livrinhos, também ama as nossas revistas e qualquer coisa que tenha páginas para folhear e figuras para ler. Acho lindo esse seu interesse pelas histórinhas, o jeitinho como carrega o livrinho (que deixa seu caminhar, ainda incerto, mais cambaleante ainda) e senta no meu colo para lermos juntas.

E não é que hoje eu me senti apreendendo uma nova mensagem dessas histórias? Talves seja efeito da minha última e atual crise na maternagem, mas ainda estou maravilhada o suficiente para dividir com vocês minha nova descoberta como mãe!

Bom, vou jogar a bomba logo.............. Sim, a Rainha e a Bruxa Má são a mesma pessoa!!!!! Isso ai, você não leu errado, elas SÃO a MESMA pessoa.

Eu também levei esse baque!

No fundo eram apenas mães, assim como eu e você, que tinham essa mesma dificuldade que eu de aceitar esses sentimentos "negativos" em relação aos nossos príncipes e princesas.... Claro, que mãe não se apaixona loucamente por aquele bebê lindo e rosado, puro e risonho sedento do nosso amor?

Mas quem nunca teve raiva do filho que atire a primeira pedra! Putz, sentimento louco esse de mãe, ?! Que amor forte é esse, capaz de passar da raiva para o amor e vice versa em um piscar de olhos!

Não saberia contar o número de vezes em que abri o meu maior sorriso de satisfação às 03:00 da madrugada ao ser acordada por aquele serzinho lindo que queria se aconchegar comigo e mamar gostoso.... Até meu coração se derrete de amor....

Mas também não saberia contar o número de vezes que o meu sangue ferveu porquê a Malu não queria saber de comer e me fazia entrar em contato com minha raiva, meu descontrole, com toda a variedade de sentimentos que eu tanto desprezo, mas que são meus e , naquela hora, estavam direcionados para aquela a quem eu mais amo.

Mas o fato é que eles existem! Cada sentimento de raiva, desespero, irritação... todos eles fazem parte da maternagem, não dá para fugir ( e olha que eu tentei, e como!). É difícil aceitar que a minha relação com a Malu é uma relação humana como outra qualquer, mas com mais PAIXÃO ainda, e que isso significa mais atritos também, e disso não posso fugir.

Na verdade acho que a Branca de Neve era só uma garotinha que não gostava de comer, daquelas que SÓ comem maçã e acabou, sabem?

Que mãe não ficaria louca e não teria vontade de envenenar as maçãs, uma a uma, para ver se ela não acabava com essa frescura e comia comida de verdade? Afinal, aquela brancura só podia ser anêmia, não é mesmo?! hehe

4 comentários:

Josiane disse...

Ai, perfeito Gab... traduziu exatamente o q sentimos... ora rainha absoluta, ora bruxa malvada...
É por aí mesmo, e assim vamos crescendo nesse grande conto de fadas mães...

Anônimo disse...

Adorei!Achei muito legal isso que você esceveu, até pq não deve ser nada fácil admitir esses sentimentos por um filho. Mas é a verdade e,como você falou,essa é mais uma relação humana e não poderia escapar a isso, mas com mais intensidade!!!(o que deve tornar as coisas bem interessantes tbm!). bjs, cacau.

Grazi disse...

Heheheh Branca de Neve anemica eu nunca tinha imaginado :p

Jo M. E. Guerra de Carvalho disse...

eee, gabi!!!
eu ando meio sismada com os contos de fada. Quero dizer, você ja reparou que as princesas raramente vão atrás daquilo que querem?
a bela adormecida fica em um sono profundo até que o principe a desperte;
a branca de neve idem;
cinderela espera que alguém lhe devolva o sapatinho de cristal
e daí pro diante....
Achho que é por isso que eu ando meio relutante em passar isso pras crianças aqui.
Quanto aos superheróis... bem, eles usam armas como os bandidos. Só muda o objetivo. E não sei quanto mérito efetivo há nisso.