terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Educar é sentimento?



Hoje Malu termina o seu primeiro ano letivo!!

Quanta história, quanta vivência, quanto crescimento!!!

Sempre pensei em colocar Malu na escola que ela estuda, lembro de barriguda ligar para a escola para saber com qual idade ela poderia ser matriculada. 1ano e 6 meses. Caramba, aquilo parecia uma eternidade.

(Só um parênteses, mãe de primeira viajem é muitooooo ansiosa, para que eu precisava ligar para a escola se ainda tava grávida??? Mas vai explicar isso para a buxuda aqui!!)

A verdade é que eu adorei estudar lá, meu irmão adorou estudar lá e eu queria poder proporcionar o mesmo para a Malu. Já meu marido, havia estudado a vida toda em escolas tradicionais e tinha detestado todas elas, então o jogo estava quase ganho, já que de tradicional a Oga Mitá não tem nada - ou será que podemos dizer que ela tem a tradição de ser diferente? ;P

Bastou uma visita e voilá, matrícula realizada e pai vestindo a camisa.

Malu parece ter uma sincronia bem sinistra comigo, foi ela perceber que eu amava a escola que Plin-* A adaptação foi moleza.

Mas e a nossa adaptação, cara pálida?? E não é que tivemos adaptação para os pais, calma, não era nada formal, mas aos poucos fomos criando lista de email, encontros de integração, passeios com a familia. E tudo foi incrível, a galera se desdobrava e se fazia presente, todo mundo aberto, assim como as crianças, para fazerem novos amigos.

Devo assumir que para mim foi um pouco dificil, sou meio tímida, mas como acho que pai que é pai tem que fazer valer o título, lá ia eu, desbravando o mundo de "pais-professoras-amiguinhos...", terra ainda desconhecida para a mãe de primeira viagem aqui!

E como foi tudo maravilhoso, como nos sentimos acolhidas, bem-vindas. Valeu cada reunião, cada aniversário, cada passeio, cada troca de email, cada vaquinha de presentes.

E para fechar o ano ainda tivemos um BIG presente. Fomos convidados para apresentar alguma atividade para as crianças da educação infantil!!! A proposta foi sendo aceita por cada pai, pouco a pouco íamos nos preparando, dividindo as tarefas, fazendo ensaios na escola.

Era engraçado quando conversáamos com alguém sobre o teatro do fim do ano da escola da Malu, todo mundo perguntava o que ela iria ser e então se surpreendiam com o fato dos atores serem nós, os pais!!

Vocês não tem idéia da animação que foi, vários ensaios, compra máscara, tira foto, repete tudo, toca de novo... Enfim, a galera toda suou a camisa, mergulhou fundo na proposta (estamos até agendando novos shows, brincadeirinha...).

Mas havia uma dificuldade, a apresentação seria em dia de semana e no horário escolar. Então além de ensaiar seu bicho a galera ainda ia ter que rebolar para organizar uma possível fugidinha para estar na hora do teatro.

Sabe o que foi incrível? Um por um foi conseguindo, a coisa foi fluíndo, quando o pai não podia, a mãe conseguia, ora podiam os dois... Enfim, a bicharada foi se reunindo.

No dia do teatro foi possíel ver o sacrifício de cada um, o aperto do horário, o celular tocando, cada um que chegava era uma vitória, e a coxia foi enchendo, a animação foi tomando conta a preparação ganhava os retoques finais. E então aconteceu algo que mexeu comigo (não, não foi o neném que chutou, engraçadinhos!).

Um único aluno não teria representante, o horário realmente era dificil, talves a avó fosse no lugar dos pais, mas nem isso estava certo. Sabe quando aquilo fica lá no fundo, dando um aperto no peito? E então vemos entrar um homem na coxia, roupa de trabalho, meio sem jeito, talves intimidado com a união dos outros pais. Foi então apresentado à nós pela professora.

Era o pai do tal aluno!!! Ele veio, a criança teria o seu representante, a turma toda estaria representada. Não me contive e uma lágrima rolou. Sabem aqueles filmes de milagre no natal? Eu vi acontecer! Sei que no fundo me emocionei não pelo aluno, mas por mim, por todas as vezes que me senti de lado, diferente dos de mais, aquela lágrima me lembrou todos os passeios que eu não fui, todas as reuniões que meus pais não foram, todos os eventos escolares que perdemos... Naquele dia o pai estava lá!

Talves sejam os hormônios da gravidez, a minha história de vida, o amor que eu sinto pelos meus filhos, ou tudo isso junto. Mas ver aquele pai chegar, sem máscara, sem ensaio, sem nos conhecer direito, vestir uma máscara emprestada, de um animal que nem teria lugar originalmente na música e participar do espetáculo foi muito forte para mim. Se a Oga Mitá fosse um sentimento, aquilo seria Oga Mitá para mim!

Queria de coração aproveitar o blog e agradecer à escola, à coordenação, às Professoras Valéria, Déborah e à Isabel, aos pais, familiares e, principalmente,amigos, que puderam me proporcionar mais uma forma de demonstrar o imenso amor que sinto pela minha filha. Agora, mais do que nunca eu sei, EDUCAR é possível!

"(...)Se eu tivesse mais alma pra dar
Eu daria, isso pra mim é viver. (...)" Djavan


*Imagem: Bicharada reunida depois da apresentação.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

VOLTANDO!! ALÔ, ALÔ, TERRA??? Preparar para aterrisagem, segurem suas panças! 3,2,1....

Pois é, acho que estou de volta.

Milênios depois de tamanho sumiço, aqui estou eu, mais gorda, barriguda e esfomeada do que nunca!

Acho que agora vai, depois desse sumiço todo, estou conseguindo colocar os pés na Terra novamente (a pontinha, mas vai lá, já dá para o gasto, não?!).

Então, como quem volta sempre conta de onde veio vou começar o meu CAUSO devagarzinho, até porque ainda estou aterrissando, não deu para elaborar tudo, ok?!

Eis que do sonho realizado de gerar mais um membro da familia eu acabei entrando em parafuso. E fui rodando, rodando, até sair de órbita.

Primeiro vieram os enjôos brabos, vomitando o dia todo, Malu até já ia atrás de mim no banheiro imitando o barulho do vômito (imaginem a cena deprimente!!).

Entre os vômitos ficava a nausea, companheira diária, que me fazia não conseguir comer nada, o que piorava os enjoos- naturalmente.

Entre os enjôos e nauseas, todas as outras obrigações diárias e, cedo como as galinhas eu me via desmaida de sono.

Devo dizer que, se meu marido tivesse fugido de casa eu nem ficaria sabendo, eu dormia quando ele chegava e só nos falávamos por telefone.

Malu, cheia de gás querendo brincar, fazer e acontecer e eu mais mole que Maria Mole.

Comecei a me questionar, era isso mesmo que eu queria? Minha vida havia mudado radicalmente e eu só queria que ela voltasse a ser como era antes. Essa não era eu, estava detestando tudo, essa moleza, cansaço, enjoos... QUE MERDA QUE EU FUI ARRANJAR????

Depois eu pensava melhor e lembrava no quanto eu queria mais um filho, como seria gostoso compartilhar a nossa familia com mais alguém, como é bom amar a Malu e como vai ser bom sentir isso por este outro serzinho...

E ai a cabeça pirava mesmo! Porque não estava dando para ser feliz daquela forma, passando mal o dia todo, me arrastando pelos cantos, eu estava triste e desanimada.

E então eu sucumbi à industria farmacêutica (calma galera, não foi dessa vez que eu experimentei antidepressivos, ok?!), liguei aos prantos para a parteira, para ser mais sincera eu pedi ao marido para ligar, fiquei meio sem graça de estar tão mal e apelando para os remédios. Aos prantos implorei para um remédio de enjoo.

Um parentese: Tenho horror a tomar medicamentos, estando ou não grávida, na gravidez então, não tomo nem complemento vitamínico se não for extritamente necessário e com data para parar!!

Bom, lá fui eu e meu remédio de enjoo. O mal estar era pior do que o medo de ingerir aquele treco e então fui com tudo. 2 comprimidos por dia.

Fui então me drogando, tinha dias que eu tentava não tomar, mas ai não tinha jeito, eu acabava correndo e me atracando com a "bendita" pílula. Os dias foram passando, e o primeiro trimestre foi acabando, abrindo passagem para o segundo e a pílula foi ficando para trás.

Nessa confusão o bebê foi começando a tomar corpo, o meu corpo, claro, e a barriguinha foi aparecendo, a energia foi voltando e as coisas estão caminhando para a "normalidade".

hauahauhauah Cara, quando eu penso em normalidade sou até capaz de ouvir, lá no fundo, uma gargalhada sarcástica zombando da minha cara. "Normalidade" (ouviram???), como é possível pensar em normalidade quando se está à espera de um lindo serzinho que, assim que respirar a primaira fração de O2 vai fazer o mundo virar todo de cabeça para baixo novamente????!!

Não, pelo amor de Deus, não pensem que não estou feliz, que este bebê não é amado e esperado!! Muito pelo contrário!! Quando penso em filhos consigo sentir meu coração de forma visceral e doida, não há maior amor nesse mundo!!

Mas é exatamente este amor que movimenta esta roda louca que é a vida, e é por isso que minha mente grita: NÃO EXISTE NORMALIDADE QUANDO SE TRATA DE AMOR, QUERIDA! ESTE BEBÊ, QUANDO CHEGAR, VAI TE COLOCAR DOIDINHA, VAI ROMPER PADRÕES, ABALAR ESTRUTURAS!!

Acho que essa minha viagem fora de órbita (fiquei tão out da vida que me isolei do mundo, não foi só do blog) foi exatamente para me fazer aceitar as coisas como elas são (parafraseando Arnaldo Antunes), porque as mudanças me causam medo, me apavoram legal e eu estava, desculpem o termo, "me cagando de medo" do impacto dessa mudança na minha vida!! Poxa, estava tudo tão bom, tão certinho, tão adaptada e de repente, Vrummm (barulho de vento passando), muda tudo.

Mas é isso ai, quem manda ser esta leonina intensa, agora aguenta flor!!

Bom, vou ficando por aqui, já desabafei de mais e vcs nem devem estar entendendo mais nada. O importante é que eu e o barrigão estamos de volta, e é só emoção!! hehe

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Natureza Pilantra!!!!

É galera... tá difícil....

Estou vivendo uma fase meio chatinha de começo de gravidez.

Eu tenho pensado que a natureza é bem sacana com a gente, ela só pensa em reproduzir a espécie e nada mais!!

Um belo dia você começa a olhar as barrigudas da rua (as grávidas, ok?!) com um olhar de admiração, namora aqueles pequenos bebês desdentados e suspira querendo mais...

E ai você pensa, matuta, planeja e resolve: Agora já dá para termos mais um, filho é pura felicidade, companhia eterna para Malu, amor multiplicado, blá, blá, blá... E pimba! Estão lá aquelas lindas listrinhas indicando que a natureza venceu mais uma vez!

E então começa a bater um medinho, será que eu dou conta, EUZINHA aqui com mais um bebê?? Carambolas, onde eu estava com a cabeça?!

E vem aquele sono terrível, um desânimo e apatia sem fim... Multiplicação celular, te explicam, e você pensa: E tinha que gastar a P%$#% da MINHA energia???? Eu tenho uma filha a pleno vapor, Zé Bolinha!

Mais Zé Bolinha também está a pleno vapor, parece, na realidade, que todos estão a pleno vapor (Até o Rubinho Barichelo), MENOS EU!!

E quado eu penso que nada pode ser pior que este desânimo chega ela, a temida Nausea, que dura o dia todo!! Com bastante esforço tenho conseguido manter o conteúdo da minha cavidade estomacal, mas isso ajuda o desânimo...

É isso, a natureza faz a gente esquecer a saga que é ficar grávida, só guarda as recordações lindas e românticas (sim, elas existem, mas nesse início de gravidez é bemmm dificil lembrar delas), é a Lei da Procriação (ou qualquer coisa que eu tenha inventado agora mesmo ;P ).

Mas enfim, tudo isso é para explicar um pouquinho do meu sumiço esses dias todos, não tenho conseguido fazer nada que não seja o absurdamete necessário (imaginem o estado das minhas unhas!!)

Mas isso há de passar, pq a Natureza não presta, meus caros! E logo, logo o ânimo volta a toda (mas depois piora, que eu sei, ok!! Não tente me eganar novamente!!)

*************************

Queridas,

muito obrigada pelos parabéns! Já confirmamos com o Beta e com o mal estar! hehe Ainda não fiz nenhuma ultra, mas quando fizer posto aqui a primeira invasão de privacidade com meu bebê, podem aguardar!

Ahh e a barriga tá sinitra!!! Como a barriga do segundo filho aparece absurdamente mais rápido, fico aqui pensando naquelas que tem 4, 5 filhos, devem ficar com barriga de gêmeos, não?

***********************************

Malu já dá sinais de que compreendo um pouco o que está acontecendo. Uma fofa, as vezes oferece brinquedos, beija espontâneamente a barriga e tal. Outras horas é uma capetinha e pula em cima de mim, bate na barriga e chuta "tudo suuuuper sem querer", sei...

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Presentinho de aniversário !




Então.....

Eu contei tantos detalhes do meu aniversário e ainda não contei o melhor!!!

Eis que, numa discussão daquelas em que eu explicava pela milésima vez que eu NÃO QUERIA outra caixa de Nhá benta , ou qualquer outra coisa parecida de presente de aniversário, veio o pedido:

-Dani, sabe o que eu quero de aniversário?

-Hum?

-Um bebê!!! (pausa para o suspense...)

-Hãn? Um bebê? Ok! Pode deixar!



*****

E ai veio aquele jantar maravilhoso, patati patatá....

Passa dia, passa noite e.... Ué?

-Dani, não veio nada ainda...

-Veio o quê, amor?

-Dani... NÃO VEIO!!!

-Normal Gabi, vc sabe que quado vc quer engravidar fica meio doidinha e a mestruação atrasa... Relaxa que ela vem.

-Tá...

***************

Bom... Acho que em 2011 ela vem, hehe!!

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Nadando contra maré ou "Slow Parenting "



Outro dia recebi um email de uma das milhares de listas que participo e esse em especial me chamou a ateção.

Ele era sobre "Slow parenting" ou algo como "educando sem pressa". Este é um movimento que defende a educação das crianças sem superestimularmos, sem a pressa das agendas cheias, sem os cronogramas semanais e sem a pressão de estarmos criando o novo Einstein.

Acho essa idéia maravilhosa, mas muito difícil de levarmos na vida real, não que seja impossível ;)

Imaginem, quando Malu nasceu, nasceu com ela mil e uma expectativas o que é bastante natural quando vem ao mundo ser tão amado e desejado.

Lembro inclusive de ouvir parentes comentando que seria uma boa fazer uma previdência para ela que seja útil para pagar sua faculdade, sentiu a pressão, né? Isso porque a gete nem sabe se ela vai querer fazer faculdade, e ela nem foi alfabetizada!! hehe

Fico impressionada com essa neura que temos sobre o desenvolvimento dos bebês/crianças, essa corrida para o estrelato, este desejo insaciável de sermos os pais do futuro prêmio Nobel.

Esse desejo louco de estarmos sempre na frente, na escola que melhor estimula seu filho, colocando ele para aprender a segunda e a terceira língua desde cedo, a competição entre a mães desde de os primeiros arrotos, o primeiro a sentar, a engatinhar...

O foco me parece ser sempre num desenvolvimento liear e ascendente, as crianças vão sendo estimuladas a competir desde cedo, são exigidas ao seu máximo, fazem mil cursinhos e aulas extras (e depois ninguém entende da ode vem a Hiperatividade).

Me lembro de ter conversado com uma cohecida que tinha um bebê da idade da minha filha e ela me contava orgulhosa como seu filhotinho já tinha aulas de inglês (ele ainda mal falava.... o português), visitei creches com aulas de informática e períodos repletos de atividades.

Por falar nisso, os brinquedos também entram nessa compulsão ao aprendizado, nada mais é por acaso, é divertido e bonito. Tudo tem uma função, um porquê, estimulam isso ou aquilo. O que são aqueles "Baby Einstein"s da vida? E aquelas pessoas que ODEIAM música classica, mas que um dia leram que aquilo ajudava o desenvolvimento intelectual das crianças e as forçavam a escutar 1 hora por dia (no fone de ouvido, pq nem eles mesmo aguentavam isso).

Parece que o medo do fracasso é aterrorizante e que, não seguir o desenvolvimento linear É fracassar e ponto.

Como você não estimula seu filho a aprender logo, você pode perder alguma janela de desenvolvimento! ( E você pode perder o simples prazer de descobrir o mundo COM o seu filho e não PELO seu filho!!!!! ok, ok, nem sempre eu respondo isso!)

Aqui em casa eu tento não encher Malu de brinquedos (não sou muito bem sucedida neste aspecto) e não me incomodo que ela misture tudo e faça bagunça, pois acho que faz parte do desenvolvimento DELA, se ela quer misturar massinha vermelha com verde, qual o problema???

Mas uma coisa eu consigo fazer (ainda), deixar que ela comande a brincadeira, que ela tenha tempo livre, que aproveite como bem enteder, sem atividades educativas e direcionadas.

Não quero que ela pinte dentro das bordas!! Quero, ou melhor, pretedo que ela desenhe suas próprias bordas!!

Lembro de conversar com a coordenadora da escola da Malu e ficar contente dela pedir para não colocarmos Malu de volta na natação já que ela já estava entrando na escolinha e que era estímulo o bastante para uma pequenininha.

Fico contente em vê-la brincando de sucata, ver as crianças no integral brincando à vontade pelo pátio, sem grandes direcionamentos.

Ano que vem Malu cotinuará na mesma salinha enquanto os outros amiguinhos mais velhos seguiram para a próxima turma e isso realmente não mexe comigo, fico contente em saber que eles respeitam o tempo de cada um e que o tempo da minha filha será respeitado, por mais espertinha que ela seja (e toda mãe acha que seu filho é) ela não tem desenvolvimento motor e emocional para seguir adiante e isso não significa um atraso para ela, muito pelo contrário é um respeito ao seu tempo e o fortalecimento de suas bases, para que seja possível, depois, seguir a diante.

Em casa também não forçamos nenhuma dessas atividades "educativas", nada de obrigá-la a arrumar o quarto, catar brinquedos, comer totalmente sozinha... Ela só tem 1 ano e tem muito tempo para aprender.

Nessas horas lembro muito do meu irmão, ele sempre teve tempo livre após a escola e adorava ficar de "bobeira" inventando coisas e estimulando sua criatividade, mas ele também curtia fazer um esporte ou outro. Porém, quando ele estrava de férias..... Eram férias gerais, ele queria ficar em casa, curtindo seu tempo livre, largava todos os esportes e determinava o que faria de seu tempo.

Muitas vezes isso frustrava os seus pais, que queriam levar ele para sair com os amigos ou ir ao cinema e ele simplesmente não queria! Depois foram saber que ele era superpopular no colégio e hoje é um rueiro de marca maior....

Enfim, acho que a gente precisa frear nossos impulsos e deixar nossos filhos curtirem a vida....DELES.

sábado, 14 de agosto de 2010

Do churros ao Olimpo !!!




A última vez que ganhei algo "comestível" como presente de aniversário do meu marido não foi uma boa experiência....

Imaginem a cena:

Barrigão de quase 8 meses, ansiedade a toda e chorando mais do que mocinhade novela mexicana.

Recebo então um embrulho retângular e quando abro: Uma caixa de Nhá Benta!!!!!!!!!!!!!!!

Agora imaginem a reação.....

Ok, ok, tinhamos combinado em gastar pouco,pois Malu estava a caminho e estávamos com toda nossaconta corrente dedicada a carrinhos,fraldinhas,cueiros e decoração do quarto (além do parto e das consultas pré-natais, tudo particular).

Ok também que Nhá Benta é bem gostoso, que grávida ADORA chocolates (e não-grávidas, e homens, e crianças e E.T.s....).

Ahhh,e ok também que o que importa não é o presente,o que vale é a intenção,blá, blá,blá...Mas vamos ser um pouquinho mais realistas, certo?! Eu nunca fui essa pessoa desapegada das coisas materias,FATO!

E convenhamos,quando pedi que ele não gastasse muito com meu presente eu não estava falando que podia ser um churros, certo?!

Bom... A coisa foi bem caótica, com grávida as coisas tomam cada proporção que só quem conviveu de perto com uma é quem sabe!

Enfim, muita água passou depois disso e chegamos a ontem, MEU ANIVERSÁRIO!!

Dessa vez tudo foi surpresa, em geral eu ODEIO surpresas,mas dessa vez eu estava confiante, hehe!

Dani arrumou um destino para Malu e pediu para eu me arrumar "chique". Já estava ansiosa e fiquei mais ainda, mal sabia que me aguardava a melhor experiência gastronômica da minha vida!!!

Quando desci do carro estávamos no Olympe restaurante da família Troisgros !!!!!!!!

Gente que "Magavilha"!!!! O lugar é uma fofura, do salão vemos a cozinha a todo vapor, o pessoal super simpático e a comida..... Hummmmmmmm

Essa era uma daquelas experiências na qual é preciso entrar de cabeça!! Escolher o menu à la carte?? Isso é para os fracos!!! hehe Pedimos o Menu Confiança com 5 pratos, que vem com as ivenções do chef com os produtos do dia, escolha às cegas mesmo.

Nossa, tudo foi perfeito, ok a picanha de cordeiro era meio pelancuda, mas o gosto era maravilhoso. No final o Chef vem à nossa mesa (pena que não era o Claude e sim o seu filho Thomás) cheio de simpatia e pergunta o que achamos. Tecemos mil elogios, mas não resisti e falei que o cordeiro era bem pelacudo - fiquem tranquilos ele é bem aberto e informal, não foi nenhuma gafe daquelas terríveis!! hehe. Ele foi super fofo e falou que a picanha de cordeiro era assim mesmo, que ele tenta tirar o máximo, mas se tirar tudo não sobra nada e pergutou se o resto do prato estava bom. Falamos que sim, ele ficou pensativo e perguntou : Pelo menos o cordeiro estava macio, né?! haha



Esse foi o Cherne com palmito no molho de passas e mais alguma coisa que não lembro. Foi eleito o melhor prato.... Por nós!! hehe


E essa foi uma das maravilhosas sobremesas.

Eu sou fissurada por programas de culinária e sempre curti cohecer restaurantes novos, tenho que admitir, dessa vez o Dani acertou em cheio o presente!!

Agora estou bem mais aberta à "Presentes comestíveis" !!! hehe

Tudo foi maravilhoso, dava até pena de mastigar a comida.

Agora tenho certeza que este aniversário entrará para nossa história, será um daqueles que o Dani contará cheio de orgulho para os netos!!!!

Já o outro... que vai contar sou eu!!! hehe

****************** *************

E vejam que fofura, Malu dormiu fora de casa pela segunda vez!!! Isso é que é presente, Filhota!!! hehe

terça-feira, 10 de agosto de 2010

A mãe e a Vaca....




Bom, agora que passou a Semana Mundial da Amamentação eu posso contar, né? hehe

Malu parou de mamar antes de dormir!! Sozinha, espontâneamente e do nada, ou quase ;)

Na última semana das férias dela fomos para a casa da minha avó, em Saquarema e sabem como é viagem, a gente acaba experimentando várias coisas e uma delas foi o tal "eitche caca" ou Leite da Vaca para os leigos! hehe

Aqui em casa não tomamos leite de vaca há alguns anos e sempre ficamos nos perguntando como faríamos com Malu... Depois que eu comecei a cuidar da minha alimentação (bem antes de Maluzinha nascer)passei a ficar bastante criteriosa nas minhas escolhas (ué, quem disse que comer chocolate Hershey's não é ser criteriosa??!!) e o leite de vaca foi um dos primeiros a serem colocados no cantinho dos rejeitados.

E ai veio Malu, a amamentação às mil maravilhas... até que entramos na introdução dos alimentos, que é um caso a parte, um dia conto para vocês dessa nossa luta.

Malu só começou a comer razoavelmente quando cortei a livre demanda durante o dia, e isso só foi depois de 1 ano. Nesse momento começamos a nos questionar sobre o leite, introduziríamos leite? Optariamos só pelos derivados? Deixaríamos só a amamentação durante a madrugada como fonte de cálcio?

Sempre tive medo do leite de vaca por conta do aumento de muco no organismo e vi muitos bebês catarrentos por ai que me assustavam. Conversamos com a pediatra dela, que foi bastante tranquila, disse que a escolha era totalmente nossa e que as alergias a leite e o excesso de produção de muco realmente existem, mas que varia de criança para criança e que ela não acharia nada de mal tentarmos. Também nos deu a opção de leite de cereais, do uso de derivados de leite e de ficarmos só com a amamentação pela madrugada.

Mais ou menos em março tiramos a mamada da madrugada, afinal eu precisava dormir melhor e ela também.

E desde então estávamos só com as mamadas de antes de dormir e de "café-da-manhã".

Mas Malu começou a fazer show para dormir, "do nada". Não sabia o que fazer, ela ficava rolando na cama, cantando, falando, brincando, não importava o quanto escuro e silêncioso o ambiente estivesse. Um saquinho!

Bom, lá na casa da minha avó tinha o tal leite de vaca em pó da lata amarelinha. Nem lembro bem como aconteceu, mas minha avó e Malu arrumaram um jeito e plim! Malu estava provando ( e aprovando, diga-se de passagem)o tal líquido branco-amarelado.

Enfim, foi amor a primeira vista. Em geral eu não costumo ceder muito a esses amores da Malu (um dia conto como ela conheceu e se encantou com aquele lanchinho que não-vale por um bifinho!), mas dessa vez balancei.

Fiquei mesmo na dúvida se dava, se faria tanto mal mesmo, se testava... Enfim, montamos uma nova rotina de dormir.

Agora íamos ver um filminho no escuro, todos juntos e acabado o filme eu daria de mamar e colocaria Malu para dormir. Qual não foi minha surpresa quando Malu, no meio do filme, pediu "eitche caca", tomou quase 200ml, acabou o filme deitou no meu colo e dormiu!!!???!!!

Vejam bem, eu não neguei o peito e nem pensei em mudar a rotina para ela parar de mamar a noite. Foi ela quem fez seu próprio arranjo.

Hoje estamos assim, ela toma seu "eitche caca" vendo filminho depois sobe no sofá comigo e dorme.

Eu estou muito feliz com isso. Fico radiante de ver como ela já faz suas escolhas e como esta crescida! Ela mesma escolher não mamar para dormir foi um exemplo de seu crescimento, suas opções de escolha foram ampliadas e ela soube lidar com isso.

E eu também fico feliz, pois já estou de saquinho cheio de amamentar... Sério, é bom, muito bom, mas já deu, né?!

De manhã, quando ela acorda ela ainda pede, e eu dou super feliz, sinto que são suas últimas investidas no mama e deixo ela curtir a vontade.

No fundo acho que nós duas sabemos que a despedida está próxima.

************* ************************ ***

E vcs, dão leite de vaca? Aqui optamos pela lata amarela que é sem açúcar e sem estabilizante e vcs, o que acham do leite de vaca?

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Da volta às aulas à Semana Mundial de Amamentação!




O juiz apita: Pìííííí!!! Fim de férias! moçada!!!!!!

NOssa, que delícia de férias tivemos, achei que ia ser dureza ficar com Malu em casa, mas foi tranquilo, até porque não ficamos em casa!! Hoho!

E agora é ritimo de volta ás aulas, cata mochila, enche merendeira, passa uniforme, procura agenda, "Será que o tênis ainda tá bom?", "Será que Malu vai ficar na boa?"...

Malu ficou toda sorridente "ajudando" a catar suas coisinhas escolares e foi sorridente para a escola, estava chegando de mansinho até que viu o parquinho. Nossa que alegria, saiu correndo e pulando e voou sozinha para a sala.

Ufa! que alívio.

***************************

Agora vamos ao assunto do dia.

Dia 1º de Agosto, para quem não sabe, foi o Dia Mundial da Amamentação, e esta semana é inteirinha dedicada à ela.

Resolvi colocar aqui as coisas que eu descobri durante a minha experiência de amamentação, não é baseado em estudos ou conversas, mas na minha vivência pessoal.

1-Amamentar é trabalhoso, nem sempre dá certo de cara, exige persistência e dedicação, além de uma certa dose de paciência que ajuda quando vc se encontra ás 3 da madrugada massageando aquelas bolas de boliche que insistem em te dizer que são seus seios. E pior, o bebê dorme a sono solto e quando vc terminar de desempedrar o leite e deitar a cabeça já vai estar na hora de levantar.

2-Amamentar também é ótimo para quem gosta de curtir uma preguicinha na cama. Nos primeiros meses eu dormia até 12:00 todo dia, só levantava de fome! hihi Malu tb ama uma preguicinha e era só colocar o seio na boca dela que ela mamava de olhos fechadinhos ainda e continuava o soninho. E depois eu me pergunto como que ela engordou 1,500g no primeiro mês! hehe

3-Amamentar é a fastfood mais FAST que pode existir!! O bebê reclamou de fome, pronto! É só colocar o seio na boca dele que a comida já está pronta, na temperatura e quantidade exatas e melhor, com aquele gostinho irresistível de mãe! Nunca vi um bebê recusar este alimento, é sucesso garantido!

4-O leite materno é tão, mas tão irresistível que os bebês exageram! Sabe quando a gente come até explodir, então os bebês são mestres nisso!! Malu mamava até voltar, acho que era para garantir que estava bemmmm cheinha de mamãe!

5-Leite materno é sucesso entre os bebês e as formigas, FATO! Deixa só uma gotinha dele vazar seio a baixo e esquece de limpar para vc ver uma coisa, elas ficam louquinhas, louquinhas!!

6-Amamentar é prazeirosos, sexualmente falando! Fala sério, aquela boquinha macia estimulando o mamilo do seu seio e vc quer me dizer que não rola prazer, sai dessa!! hehe Aqui rolou, e principalmente no início, repara só!

7-Amamentar é uma das melhores coisas que eu sei fazer! Tipo, tudo pode estar dando errado, brigas, trabalho, familia... Mas ai vem aquele ser todo amado e te olha cheio de desejo pedindo para mamar, pronto, vc ganhou o dia! Tudo pode estar dando errado, mas isso , ahhhh isso vai de vento em popa!

8-Amamentar muda a estrutura do seio, FATO!!Mas não é só amamentar o simples fato de engravidar já muda a estrutura do seio, durante a gestação ele vai se preparando para a amamentação e quando o bebê nasce não tem jeito, vc escolhendo amamentar ou não, seu seio vai encher de leite e ai já era, aquele peitinho durinho vai ficar para trás!(haha vc que optou por dar mamdeira desde o início tava se achando no lucro, né?! hehe)

9-Amamentar acaba com os seus pudores!! Sério, se Malu tava com fome eu não pensava duas vezes e colocava o peito para fora, sem cerimônias! É verdade que sempre tem um velho tarado, um adolescênte intimidado e uma senhora puritana para perturbar, mas eu ignorava SOLENEMENTE! Mas o mais engraçado é que hj, que Malu só mama para dormir eu já morro de vergonha deles aparecerem!! hehe Vai entender....

10-Amamentar envolve a familia toda!! Meu marido cansou, literalmente, de massagear meu seio para ajudar a desempedrar, buscar compressas de repolho para diminuir a produção (vejam a que ponto eu chegeui!!!! Mulher salada...de repolho:( ), lavar inúmeros potes de leite materno, segurar a Malu para ela mamar no meu seio quando eu me desesperava e perdia o foco, e, principalmente, achar a coisa mais linda a Malu mamando e me incentivar a amamentar até ela parar sozinha!

11-Amamentar é um excelente CALA A BOCA!Nossa, era só começar aqueles chiliques de sono, fome, cansaço, carencia....que eu tascava o seio e puft! Acabava. Eu atravessei uma viagem de avião de 14 horas durante o dia com a Malu praticamente plugada no seio, ela não deu trabalho algum, foi uma Lady!

12-Amamentar gruda a gente no bebê no início, mas depois fortalece eles para ficarem longe de nós. Malu é supermegaultrablaster grudada em mim, mas só quando estamos juntas, porque de resto fia ótima, corre para a escolinha, adora passear com quem for, dorme fora se preciso... Uma mocinha, que ainda é bezerrinha!! hehe


Bom, é isso! Poderia falar mais um monte de coisas, mas ai ia ficar looooooooongo que vcs iam acabar cochilando...

BJs, bjs e curtam essa semana para quem é da galera que ainda amamenta!!!!

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Férias para que te quero!

As férias estão em ritimo FRENÉTICO aqui em casa!!!

Juro que eu pensei : O que fazer com Malu em casa 2 semanas????

E hoje me vejo pensando: " Puxa...faltam só 4 dias de férias, passou tão rápido!!!"

Esse fim-de-semana então... Loucura total!!

Sexta fomos a festa julina no trabalho do Dani:


Malu passando Gloss da mamãe para ficar bem lindona! E cagar toda a roupa da mamãe...hehe

Sábado foi dia de passear com a galerinha do colégio!! Coisa mais fofas esses bebês pensando que são gente passeando pelo shoping! E a Turma de pais super animada num megaencontraço??? Foi maravilhoso!


Alguns amiguinhos paralizando o trânsito no shopping!


Depois fomos para o aniversário de um amiguinho da Malu, só tendo o caminho como intervalo. Malu se comportou como uma Lady (Gaga! hehe) , se divertiu horrores!!


Malu curtindo fazer "boinha bão" SOZINHA!!

Expressão da semana: "Ôta festa, mamãe!!! Ôta festa!" hehe

Nem preciso dizer que dormimos na mesma hora da Malu nesses dias, né?!

Domingo foi dia de praiana, porque com o tempo lindo que estava fazendo a gente merecia, NéNão??? Mas da praia não tem foto, sabe como é, praia no Rio não dá para bobear com máquina!! hehe (Brincadeirinha ;) )

Depois da praia deixamos a Malu com uma das avós e fomos curtir o nosso fim-de-semana, que depois que ela nasceu se reduziu a algumas horinhas à sós... Não, aqui tb não temos fotos!! Seus depravados!!! kkkkkkkk

E agora estou aqui, atualizando o Blog e fazendo nossas malas, eu e Malu estamos tirando uns dias de férias do papai,!! hehe Vamos visitar a bisa e curtir uns dias na práia!! ColaboraSãoPedroooo!!!

Até a volta galera!

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Porque agora cantamos juntas!!!

Eu não canso de me surpreender em como Malu cresceu!!

Sabem, umas das coisas que eu mais gostava quando estava grávida era de cantar!! Isso para mim foi uma grande surpresa pois nunca fui muito "musical" e com certeza cantar não é o meu forte.

Mas era engraçado, eu andava para cima e para baixo cantando, não era cantarolando não, nem cantando baixinho, era cantando mesmo, para Malu ouvir!!!

Não era incomum me ver saracutiando por ai, com a mão na barriga e cantando como se o mundo fosse só nosso! Era a típica grávida "avoada", distraída como nunca fui, ia pela rua tal e qual adolescente apaixonada que colo um sorriso louco no rosto.

Eu cantava tanto para ela que temos até algumas musiquinhas só nossas, plágio total, confesso, mas feitas com muito carinho.

E não é que hoje me pego repetindo esta cena! Íamos eu e Malu, nas nossas andanças pela rua a caminho do parquinho e eis que eu começo a cantar. E dessa vez sou acompanhada, como um dueto fofo de mãe e filha ao som de "O Cravo brigou com a Rosa" e foi então que me lembrei de quando esta mocinha estava só na barriga, ouvindo minha cantoria desafinada pelas ruas da cidade.

Hoje cantamos juntas, para "deleite" de todos os transeuntes (ou pelo menos daqueles de bom humor, hehe) que muitas vezes eram bridados com coreografias desajeitadas e encantadoras.

Uma vez li que o nosso futuro estaria salvo quando as mães voltassem a cantar cantigas de roda com seus filhos. Por hoje posso dizer que compreendi o que isto quer dizer.


Fica ai um pouquinho das nossas cantorias!!!

domingo, 18 de julho de 2010

FÉRIASSSSSSSSSS !!

Passa Maio, Junho e tcharammmmmmmm: chega JULHO!!!!! Aquele climinha frio, chuvinha e .... Férias escolares!!

Aqui em casa estamos inaugurando nosso momento FÉRIAS DE JULHO como pais e já posso dizer que estamos adorandoooooo!

Aquele climinha de confraternização na escola, receber os "trabalhinhos" realizados pela filhota durante o período letivo e, principalmente, começar nossos rituais de férias!!!

A chegada das férias de julho da Malu me fizeram recordar minhas férias.

Para mim existe uma diferença clara entre as férias de julho e as férias de verão (dezembro-janeiro), primeiro na duração, já que as de julho são mais uma pausa do que exatamente férias. Segundo que esse climinha pede atividades específicas.

Quando eu era criança férias de julho significavam principalmente CINEMA!!! Sempre tinha um SUPER-MEGA-ULTRA lançamento do Didi, Paquitas, Xuxa ... Eram filmes IMPERDÍVEIS que eu assistia no mínimo 2 X!!

Como era gostoso, íamos para os cinemas de rua imensos, comprávamos balinhas da bandeja das meninas (lembras aquelas balinhas de açúcar que eles sacudiam imitando um chocalho???É, eu comia aquilo e SOBREVIVI!), e ficávamos na fila à espera do melhor lugar.

Acho que a memória de ir ao cinema nas férias me marcou tanto que no último dia de aula da Malu tive um impulso incontrolável e levei ela ao cinema pela primeira vez!!

Ai que delícia, estavamos só nos duas, enfrentei aquela fila monstruosa da pipoca (detalhe: nunca entendi como a fila é tão grande se é para comprar a pipoca mais cara e fria da face da terra!!!), saí carregando Malu, ingresso para ShereK 3, pipoca em tamanho "Obeso americano" e banquinho para baixotes.

Claro que escolhi um horário super cedo, numa sala bem vazia pois não sabia como Malu ia se comportar. Nos acomodamos, Malu fez questão de sentar no seu lugarzinho, uma fofa, se atracou no saco de pipoca e começamos a assistir o trailer.

Meu Deus, o que foi aquilo????? Eu sei que adolescente e,principalmente, adultos amam ShereK e tal, mas os trailers eram quase todos para este publico, o que deixou minha baixinha meio desanimada, mas o pior mesmo estava por vir!! Começou um trailer de um filme infanto-juvenil no qual o personagem principal vai se tornando um mosntro aos poucos. Malu começou a gritar: "fei, mamãe, FEI!!!!", pulou no meu colo e começou a me sacudir para irmos embora.

Achei péssima a escolha, que trailerzinho chinfrim para passar antes de um filme de criança às 15:00 da tarde!!!

Passado o susto, ou melhor, o trailer, Malu voltou para sua poltroninha e sentou para assistir o filme.

Fiquei surpresa em como ela se amarrou no cinema, prestou uma mega atenção ao filme, e olha que em casa ela não liga nada para TV!!! Foi tão lindo vê-la atenta ao filme, até eu consegui assistir tudo como se estivesse acompanhada de um adulto!!

Depois de se atracar na pipoca e acompanhar o filme como uma mocinha fofa, Malu se entregou. Nas últimas cenas, quando eu olho para o lado vejo uma bela adormecida. Tadinha, perdeu os últimos 5 minutos de filme!! hehe

Fiquei tão contente em compartilhar com ela algo que teve tanto significado na minha infância!! Sem contar que ela foi uma maravilhosa companhia para uma tarde no cinema!!

Curtimos tanto que no Domingo repetimos a dose, dessa vez com o papai! Fomos assistir Toy Story 3!! Um belo programa familiar para um domingo chuvoso de férias!!!

É.... Essas férias prometem!!!!!

E posso dizer que a cada dia que passa fico mais apaixonada pela minha filha!! Conforme ela cresce vamos nos conhecendo melhor e podendo construir uma relação mais íntima, estamos compartilhando cada vez mais o mundo e esse clima de união me deixa encantanda!!!

Acho que nem nos meus sonhos mais lindos pude imaginar um domingo como este, simples e repleto de amor!!!

Porque minha companheirinha cresce e aparece!!!! E me encanta cada dia mais!!!




Malu e Papai.



Malu e Mamãe.

terça-feira, 13 de julho de 2010

Eu existo!!!!!! (será?)

Gente, eu juro que existo!!!

Não sou um vírus de computador, nem um holograma moderninho....

É que a correria está brava!! Malu em clima de pré-férias, tendo que correr atrás de mil coisinhas para a festinha da escola, fim de período na pós com trabalhos mil para fazer (e todos para segundAAAAAAAAAAA!!!!!!), trabalhos rolando a mil, cursos e mais cursos (que eu amo, mas me consome.....).

Para vcs terem uma idéia semana passada, no meio da correria o Dani, meu marido e supermegablaster Pai esqueceu, isso mesmo, ESQUECEU de buscar a Malu na escola!!!!!

Imaginem a mãe aqui, em botafogo, começando a aula em um curso e pegando o celular para desligar, afinal não pega nada bem deixar o celular ligado no curso, não é?!

Bom, pego no meu celular às 17:40 e vejo uma mensagem brilhando: "Amor, onde você está? Estou saíndo do trabalho agora!".

Gelei!!!! O dani não lembrava que eu estava no curso, esqueceu completamente de buscar a Malu que, detalhe, sai às 17:30 da escolaaaaaaaaa!!!!! E ele estava no Jardim Botânico!!!

OK, respira e tenta resolver:

* O teletransporte ainda está em período de experiência, então não conta.

* Por mais que um rio de lágrimas esteja querendo quebrar o dique e invadir a represa eu não tenho um barco, logo, não vai ajudar também!

* Brigar, gritar, ou me culpar vai fazer com que eu gaste minuutos preciosos da minha filha esperando na escola.

* Tentar outra pessoa disponível para buscá-la. OPÇÃO ACEITA.

Saio da sala desesperada, enjoada, dor de cabeça pulsante e choro preso. Ligo para uma das avós, meu irmão atende e diz que ela não está em casa. Só que ele sempre fala isso!!!! Eu dou um belo ataque até perceber que ele DE FATO falava a verdade. Desligo na cara dele, tempo é fundamental agora.

Ligo para o celular da avó, que estava saíndo do trabalho, vai que ela já estava chegandoe podia dar uma esticadinha salvando minha filha de ficar quardada no almoxarifado (isso ainda existe?) até segunda-feira. NADA, ela está no centro da cidade.

Ligo de volta para o meu irmão, que já está desesperado sem entender nada, peço para ele ir com minha avó buscar Malu na escola, meu irmão é menor de idade e não pode ir sozinho, minha avó não dá conta da Malu sozinha, juntando os dois eles devem dar conta, pensei.

Ligo para a escola, aviso do ocorrido e de quem vai buscar Malu e espero notícias.

Passaram uns 40 minutos até que Malu estivesse em casa, o que para mim pareciam umas 3 horas de terror, enjoo, dor de cabeça e vontade de chorar.

O telefone toca. Malu está são e salva do monstro do almoxarifado! UFA! E pelo telefone dava para ouvir os risos de alegria por estar na companhia do "Teteio" querido dela.

É... A vida é mesmo curiosa, cheia de surpresas. Malu ficou super tranquila com a professora, sentada na biblioteca brincando e esperando a cavalaria. Nenhuma lágrima, nem sinal de ansiedade, chegou bem em casa, brincou e foi como um dia normal. Na segunda foi toda feliz para escola, como de costume, e na hora de buscá-la demosntrava a tranquilidade de sempre.

E eu aqui, toda estressada, pensando nela se descabelando ou triste e amuada. Que nada, no quesito escola estamos sempre nota 10!

MInha vida tá assim, esquecendo Malu na escola, correndo para todos os lado e longe de coisas que me dão tanto prazer como escrever aqui e tentar tocar violão...

Mas segunda isso acaba!

BJsssssss

domingo, 27 de junho de 2010

Só eu e você!!!!!

Essa semana aqui em casa foi ligeiramente complicada. Pela primeira vez depois que a Malu nasceu o Dani viajou e ficamos só nós duas.

Até que a coisa foi Bemmmmmm tranquila, por um lado por causa da nossa super ajudante, que além de cuidar aqui de casa ainda quebra meu galho olhando Maluzinha quando preciso. Por outro, por causa da maravilhosa escola que Malu fica por 4 horas à tarde que a deixa feliz e cansada!!! hehe

Mas o que foi uma vitória para mim foi passar a noite só eu e ela. Sabe, eu sempre fui bastante grilada à noite, sou daquelas que ouvem todos os barulhos do MUNDO e tudo me assusta um pouquinho, mas resolvi ficar com Malu aqui em casa mesmo assim e deu tudo certo!!

Me senti super funcional (e mega cansada !!!!)pois consegui manter nosso funcionamento mesmo sem o Dani para dar aquela mãozinha. Fui ao curso, trabalhei, fui à academia, levei e busquei Malu na escola... Enfim, tudo o que faríamos normalmente. Claro que foi pouco tempo e no final eu já estava cansada, mas foi muito importante saber que consigo me virar sozinha quando preciso, e que isso não significa que tenho que virar a mãe-maravilha e deixar minha vida de lado para conseguir dar conta dela sozinha. Coisa que eu facilmente faria, e que me deixaria acabada, doente e mega ansiosa!

Ahh, também ajuda muito o fato da Malu estar bem mais crescidinha e poder colaborar, nem que seja com pequena compreensão, para o funcionamento da casa.

Nesse período pude perceber como é importante me sentir segura e feliz quando estou lidando com a Malu. Perceber que a maternidade não me anulou, que posso voltar à ativa na minha vida pessoal, que posso privilegiar as coisas que gosto como trabalhar, ir à academia, usar o computador....E continuar dando conta da Malu de forma bastante ativa foi maravilhoso!!!

Claro que no final eu já estava mais cansada e que morria de saudades do Dani, mas achei bem natural isso, não teve sofrimento na nossa experiência, muito pelo contrário, ganhei um reconhecimento maravilhosa da minha capacidade de dar conta das coisas que aparecem na vida sem me desesperar (coisa que aconteceria facilmente à uns 6 meses atrás). E o melhor, este reconhecimento veio de mim mesma, da avaliação que pude fazer da nossa experiência.

Hoje estou contente comigo mesma!!!

Vou aproveitar este sentimento gostoso de auto-reconhecimento, juntar com esta sensação de que, enfim, estou voltando a ser Eu, e não somente "Mãe + um protótipo de Eu", e vou lá curtir o meu marido!! Porque depois dessa semana a gente merece!!!

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Eu tentei, juro!

E lá veio ela... Juro que eu tentei disfarçar, fiz que não era comigo, cheguei até mesmo a tripudiar dela.

Resolvi que dessa vez, ao menos dessa vez, ela não ia me pegar! Eu ia ser forte, durona e não ia me abalar!!! NÃO, NÃO E NÃO!!!!!

Mas.... Ela venceu! E nos acréssimos eu me rendi!

Lá estava eu, batendo perna no shopping, totalmente rendida ao "Clima da Copa", buscando um uniforme bacana para a torcida aqui de casa.

Havia jurado a mim mesma que desta vez eu não me abalaria, que a Copa não estaria autorizada a tomar as rédeas da minha vida. A última, não gosto nem de lembrar, havia me traumatizado.

Sabe, eu AMO futebol!! Minha família AMA futebol! Até meu marido, que por obra do acaso e das curiosas questões da vida, não ligava a mínima para futebol foi picado pela mosquinha de chuteiras.

E COPA, putz, COPA para mim é mais do que futebol, é evento na vida, que para toda (ou para ao menos aquilo que dá para ser parado)para acompnhar cada lance, mesmo que seja de Argélia X Eslovênia.

Mas depois da última COPA... Hummmmm, depois do Champignon que levamos decidi racionalmente NUNCA mais me envolver com este "ópio do povo" novamente.

Claro que a promessa durou até...... A próxima COPA!

Mas eu tive um grande motivo para me render nos acréssimos do segundo tempo. è a primeira COPA da minha filha!!! E como aquelas mães bailarinas frustradas que levam o bebê desajeitado para as aulas de balé, eu sucumbi à paixão pela COPA!

Como poderia deixar passar em branco a primeira COPA de sua vida? Como não compartilhar com ela esta minha paixão?

Então lá fui eu, na véspera da estréia da Seleção Brasileira (chinfrin, eu sei, sou apaixonada, mas não sou louca!)rodar loja por loja para achar um figurino adequado para minha torcedora mirim, e para o resto da familia de quebra.



E não é que fui comprar uma camisa para mim e para o meu marido e lá estava o Tri-campeão Jairzinho, dando autógrafos. Se eu fosse mais controlada teria dado uma olhadinha básica e saído de fininho, cheia de classe. Mas como não sou nada controlada, entrei na fila do autógrafo!! KKKKkkkkkkkk

E para completar o KIT não resisti e comprei uma Vuvuzela para Malu, que graças a Deus não consegue tocar!! hehe

E aqui estou eu na "árdua" tarefa de apaixonar Malu pelo futebol, fazendo o sacrifício de acompanhar todos os jogos que posso e ainda assistir aos comentários à noite.

Nem preciso dizer que toda vez que saímos de casa Malu olha para TV e fala: Tchau Gol!!! hehe

Acho que a mosquinha de chuteiras está pegando ela também!!




***

Ahhh!! Também vou deixar claro aqui que torço contra a Argentina! Afinal, futebol é futebol, ser politicamente correta é outra coisa!!! hauahuahauha

***

Tá, ok! Odeio a Argentina, não quero que eles ganhem, mas devo adimitir... Vê-los jogar causa aquele frisson maravilhoso, que em geral vem acompanhado da COPA do Mundo no final da competição.

Mas agora chega!!! E vou negar que disse tudo isso, ok?!

***

E mais uma vez muito obrigada às queridas Mãe-Blogueiras que responderam a minha pesquisa!!!

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Oh, segredo!!! Não espalha, tá?!

Primeiro queria agradecer horrores às Blog-Mães que estão me ajudando MUITOOOOO!!! A experiência de vocês está sendo um grande instrumento para um dos meus trabalhos na pós e podem ter certeza que depois que ele ficar pronto vcs serão as primeiras a ler!!!

E você que ainda não escreveu, ainda está em tempo!!!!

XXXXX XXXXXXX XXXXX

Agora o segredo!

Depois de um tempo trabalhando nos bastidores a Equipe Parto EcoLógico está saíndo da idéia e entrando na prática!!!!!! EHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH !!!!!!!!!!!!!!!!

Tá, isso não disse nada a vocês, certo?! Ahhhh, mas diz tantooo para mim.

Ess é um dos projetos que vem caminhando comigo desde que a Malu nasceu e agora ele está se tornando realidade.

Bom, a equipe Parto EcoLógico é formada pela maravilhosa Heloisa Lessa, Enfermeira Obstetra e nossa coordenadora, responsável pela grande maioria dos partos domiciliares que rolam aqui no Rio de Janeiro. Além dela tem as maravilhosas parteiras Maysa, Rachelli, Rejane, Sabrina, Marcelle e as estudantes de enfermagem Diana e Kira.

E além delas, nada mais, nada menos, que euzinhaaaaaa!!!! IUPI !!!!!!Que sou psicóloga e estou lá para dar um suporte para os encontros de gestantes e pós-parto e para realizar as visitas pós-parto que forem necessárias.

Em geral, eu trabalho acompanhando a mãe-bebê neste momento inicial de adaptação, nas dificuldades com amamentação, com a adaptação à nova rotina, a dismistificação de algumas coisas, tirando algumas dúvidas.... Enfim, cada caso é um caso, mas posso dizer que tenho AMADO MUITO trabalhar assim!!!

Se você quiser dar uma bisbilhotada no nosso trabalho é só entrar neste blog , mas calma, porque ele ainda não está pronto e pode sofrer muitas mudanças ainda.

Então, se você é do Rio de Janeiro e deseja saber mais sobre o parto domiciliar, ou quem sabe ter esta maravilhosa experiência, já sabe a quem procurar!!hehe

Ahhh, mas não esquece, é SEGREDO, hein!!!!!! ;)

terça-feira, 8 de junho de 2010

Por quê um blog?


Como algumas pessoas por aqui sabem, estou fazendo curso de especialização em Saúde Materno Infantil na UFRJ e queria pedir uma ajudinha de vocês, amigas blogueiras!

Queria fazer um trabalho sobre as mães que mantem blogs sobre maternidade e se relacionam nessa rede virtual (as vezes nem tão virtual para algumas, certo?!)

E para isso eu queria contar com a super ajuda de vocês. Queria saber mais de vocês, entender um pouco mais sobre como é ser mãe blogueira, sabe como é, só minha experiência não dá....

Para mim, ser blogueira é algo muito novo, ainda estou aprendendo as regras de "etiqueta" por aqui, ainda dou muitas mancadas, respondo pouco aos comentários e conheço pouca gente. Por outro lado é maravilhoso conhecer pessoas tão diferentes, de longe, de perto, parecidas e diferentes, pessoas que talves eu nunca fosse conhecer na minha vida toda.

Mas o importante mesmo para mim é poder falar sobre a maternidade, viajar no que EU penso de tudo isso e, principalmente, ser compreendida ou, ao menos, respeitada nas minhas escolhas. É muito bom encontrar pessoas que pensam parecido, que trocam idéias, dão sugestões ou, no mínimo, dão seu ombro amigo para chorar e a mão para ajudar a seguir em frente.

Curto muito também falar das minhas experiência, de como EU escolhi fazer isso ou aquilo, em como quebrei a cara pensando tal coisa, como acertei tantas outras, como pude fazer coisas tão diferente do que eu via, e como fiz outras de forma tão igual a maioria. Em resumo, desmistificar a idéia de que ser mãe é "assim" e ponto final.

Acho que os Blogs me ajudaram muito a não seguir receitas, a me abrir para o desconhecido mundo da maternidade, que se mostrou, para mim, bem diferente dos filmes da sessão da tarde.

Os blogs ai do lado me mostraram coisas sobre a maternidade que eu não conhecia, me fizeram pensar muito, escolher o MEU jeito de maternar e ficar mais segura ainda para caminhar da minha forma, mesmo aceitando que as pedras e desvios também fazer parte do caminho que escolhi.

E, por último, me fez ver como nós, mães, somos capazes de nos unir, de criar uma rede de apoio virtual tão forte que pode fazer toda a diferença, afinal, o senhor Google está de olho em nós e podemos usar isso de uma forma bastante positiva, criando um espaço para reinvindicarmos nossos direitos, assim como a Ro e a Mari fazem tão bem!!

É, no final, acho que nos aproximamos porque os filhos tem razão. Mãe é tudo igual....

E se vc quiser me ajudar no trabalho ( e ganhar um lugarzinho no céu.... hehe) aqui vão as perguntas, é só responder nos comentários mesmo. E se você puder divulgar minhas perguntas, ai sua mansão com vista para as nuvens já estará no papo!! hehe

1)Por quê resolveu criar um blog para falar sobre a maternidade?

2)Como é se relacionar com outras mães pela "Blogsesfera"?

3)Qual o seu objetivo com o seu blog?



É isso mulherada. Mil Beijos, Gabi.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Aberta a temporada de caça......... à Malu!!!

Pois é, sumi mesmo....

O fato é que, de uns tempos para cá, parece que foi aberta a temporada de caça à minha filha!!! Quem manda ser gostosa, cheirosa e fofinha!! (já até vejo ela falando:- Ain mãe, que ridíííííículo!!) hehe

Ok, ok, eu sei que mordidas nessa fase são inevitáveis(?), eu até compreendo. Tem toda aquela coisa da criança estar conhecendo o mundo com a boca (e com os dentes, certo?), que ela ainda experimenta o outro como um boneco, não controla seus desejos, sejam eles de raiva ou amor, e tudo o mais.

O fato é que, fora as milhares de marcas roxas, tão carinhosamente dedicada à MINHA FILHA, dessa vez a coisa estrapolou um pouquinho. Malu voltou com uma ferida, e não com uma marquinha "carinhosa" de dentes subdesenvolvidos. Ferida mesmo, daquela que faz casquinha e tudo!!E ai não tem coração de mãe que resista, fiquei tão arrasada..... Mas bola para frente, ela mesma nem liga muito (só na hora, né?!) e faz parte do processo de fazer amigos, a gente mesmo leva umas "mordidinhas" dos nossos amigos de vez em quando e sobrevive, né mesmo?

Mas não, a temporada de caça não para por ai!!!Também teve um empurrãozinho da mamãe aqui para Malu figurar no topo das mais procuradas!

No último fim de semana meu marido viajou e ficamos só nós duas em casa. Tudo correndo as mil maravilhas até que....Eu fiquei louca de vontade de dar uma olhadinha no que rolava aqui, pelo mundo cibernético, e liguei o computador. Claro que Malu detestou perder sua parceira de coreografias do Cocoricó e veio "gentilmente" me chamando com um "Mãmããããããããnhê!!!!!!". Resolvi colocar ela em pé na cadeira do lado (ATENÇÃO MAMÃES: O MINISTÉRIO DO BOM SENSO ADVERTE ESTA ATITUDE!!!), deixar ela brincar com o outro computador enquanto eu tinha meus preciosos 2 minutos de paz. E então: CAPUFT!!!! (ai, sou péssima em efeitos sonoros). Por sorte, catei ela no meio da queda, mas não a tempo de evitar que o queixo batesse na mesa. Comecei a consolá-la com um não foi nada até que vejo sangue, muito sangue, tipo "Sexta-feira 13"!! A bichinha berrava, cuspia sangue e eu tentava não desmaiar e socorrer a pequena.

Resultado: Os dois dentões da frente cortaram o lábio, que também ficou roxo, não só pelo efeito da batida, mas também pelo excesso de picolé de uva que eu dei para ela a fim de estancar o sangue... e a culpa!!!

Ela ficou assim:



Passado o drama do fim de semana, eis que na segunda-feira vou buscar minha gatinha na escola e descubro que no meio de uma descida ninja de escorrega Malu caiu de cara e ralou o nariz e a testa. Pior que, como ela não chorou, e continuou a atitude suspeita no escorrega, a professora ficou na dúvida se o ralado tinha acontecido quando ela abriu a boca ou se tinha sido resultado mal sucedido da aterrisagem forçada no escorrega.

Putz, a menina já tá num ponto em que nem se sabe mais de qual situação vem cada marca!!!!! E eu que pensava que ela ainda era um bebê.... ai, ai, ai.

Olha ai o resultado da aterrisagem:




O mais curioso disso tudo é a certeza de que Malu agora é uma menina, ok, uma menina que usa fraldas e fala enrolado, mas uma MENINOCA!!!!

terça-feira, 18 de maio de 2010

E a novidade é.......


"- Agora vamos dar um beijinho de boa noite no mamá?
-Tá! (beijinho de boa noite no mamá)
-Agora vai com o papai. Boa noite amorzinho!"


Sim!!!!! Conseguimos!!! Nada mais de mamá da madrugada, nada mais de noites interrompidas!!

Tá, alguns podem estar pensando " Aff! e essa era a novidade....cada uma que aparece..." . Mas na minha opinião isso é uma baita novidade, motivo para comemoração, Tin-Tin e tudo o mais!

O mais lindo de tudo foi que aconteceu de forma tão natural, sem escândalos, nada de noites de choro, nem de pais descabelados. Nada de olheiras sem fim, criança berrando até "acostumar", nem de grandes traumas (ops, acho melhor deixar para avaliar isso depois da adolescência!! hehe).

Tinhamos suspendido a tentativa de não dar mamá na madrugada depois da crise de laringite da Malu. Avaliamos que seria melhor deixar para depois, esperar ela se recuperar e,principalmente, deixar para começarmos a tentar durante a semana, na rotina normal.

Eis que numa noite resolvi mudar um pouquinho o esquema de preparar a Malu para dormir. Como ela dorme conosco, tinhamos o hábito de colocar a roupa dela no nosso quarto mesmo, mas nas últimas semanas Malu tinha despertado para o fato de que ela tem um quarto, que por sinal é cheio de brinquedos!! O que ela poderia querer mais?!

Resolvi, então, tentar passar a rotina de colocar o pijama no quarto dela. Lembrei também que uma vez a Renata (mãe da Manu e do Gui) tinha me dito que passou a dar de mamá para a filha num lugar específico antes de dormir e depois do mamá colocava ela para dormir. Na verdade o objetivo disso seria desassociar o mamá do dormir.

Foi então que pedi ajuda do maridão e coloquei meu plano em prática. Colocamos o pijama nela no quartinho dela e sentei na caminha dela para dar de mamar. Expliquei para ela que o mamá ia dormir e só acordaria de manhã. Ela mamou até não querer mais, trocou o peito, mamou outro montão e, quando fez que já tinha mamado o suficiente, pedi para ela dar beijinho de boa noite no mamá e ir dormir com o pai.

Toda fofa ela deu o beijinho no mamá e foi. Uns 5 minutos depois volta ele, cheio de orgulho.

Quando fomos dormir ele ficou do lado dela e eu na outra ponta. Ela foi assim até o meio da madrugada, então acordou pedindo o mamá. O pai tentou ajudá-la, nada feito. Fui para o lado dela e falei que o mamá estava dormindo, só acordaria de manhã, aninhei ela nos meus braços e dormimos.

E assim tem sido sempre, na maioria das noites ela não acorda nem uma vezinha. Quando raramente acorda já não pede mais o mamá, só me chama, eu deito ao lado dela e voltamos a dormir. Em algumas vezes, se ela demora para voltar a dormir, eu digo que de manhã o mamá acorda, que agora ele está dormindo e ela dorme.

Quando ela acorda, já de manhã, eu deixo ela mamar a vontade, as vezes ela até adormece de novo. Mas tem dias que eu saio e ela nem acordou, e ai quem sente falta do mamá sou eu...

Estou muito feliz pela maneira como as coisas aconteceram. Não precisei deixar ela chorando, não tive que sair do quarto, nem tomar nenhuma atitude drástica, que eu acabaria tomando se não conseguisse esse feito, porque acordar 10 vezes por noite estava realmente me enlouquecendo!

Fico muito feliz também de ver que Malu ainda quer mamar, e que eu ainda curto muito que ela mame, só não curtia acordar mil vezes á noite.

Estamos a duas semanas nessa modificação e até agora tudo vem dando super certo.

O maior aprendizado para mim foi que a gente pode saber muito, pesquisar ao máximo, pedir mil dicas e etc. Mas tudo isso só vira uma coisa só, com início, meio e fim, quando chega o tempo certo, quando conseguimos perceber nossos filhos e a nós mesmas e aproveitamos a janela que se abre para as novas experiências.

Eu já sabia a dica da Renata de dar de mamar num lugar diferente há muito tempo, já tinha lido que podia desassociar o ato de sugar com o sono para facilitar as coisas, sabia qua nesse momento era importante que o pai entrasse com garra e se apropriasse desse espaço, também sabia que falar para ela o que ia acontecer também facilitaria... Mas nada disso fazia sentido até semanas atrás!!!!

Um dia tudo se juntou e fez sentido, fez tanto sentido que foi, e ainda está sendo, super tranquilo, tanto para Malu como para a gente.

Percebos a nossa "janela" e aproveitamos a bela paisagem que ela nos deu!

Bom, esse foi o nosso momento, e estou muito feliz que tenha sido assim. Agora só me resta um "probleminha"....

Como faço para que o marido não durma TODA VEZ que vai colocar a gatinha na cama????? Ai, ai, ai, nem tudo é perfeito!!!!! hahaha

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Meu primeiro selinho!!!!!


Mulherada,

tô tão feliz!!!!!!!

Ganhei meu PRIMEIRO SELINHO!!!!!!!

Gente, fiquei tão feliz! Acho tão lindo todo esse movimento de Blogs!

E meu primeiro seinho veio de uma amiga antiga aqui da internet, companheira de barriga e mãe da fofíssima Manu. O selinho veio do maravilhoso Blog da Mariane, o Crescendo com a Manu .

Não sei bem como devo fazer agora, então vou redistribuir o selinho, mas nem sei bem a quantos blogs devo enviar... hehe

1ºvou dar para minha querida amiga Roberta do Piscar de Olhos . Seu blog é absolutamente o MÁXIMO, super divertido e cheio de atitude, igual a dona.

2º Vai para o novíssimo Maternagem sabor Baunilha . Que já veio mostrando atitude.

3º Para o maravilhoso e consciente Ombudsmãe .

4º vai para o Crianças na cozinha, que me ajuda muito no dia-a-dia com minha filha e sua variedade alimentar.

5º para o Blog Braços de polvo e coração de manteiga que eu AMOOOOOOOO!!!! Acho a Beta maravilhosa e adoro lê-la compartilhar suas histórias de maternidade. Um super exemplo de quem lutou muito para amamentar sua filha, por exemplo!!!


Bom meninas, acho que fiz tudo certinho, né?


BJs, Bjs, Bjs

ps.Tenho uma super notícia para contar, mas vamos deixar para o próximo post!!! hehe

terça-feira, 11 de maio de 2010

Às mães que aparecem no nosso caminho!

HOje, passado o dia das mães, me vi pensando nas outras mães, aquelas que não chamamos diretamento com a palavrinha de 3 letras.

No meu próprio caminho elas foram várias e ainda muitas vão aparecer.

Minha avó foi uma delas. Presente na minha rotina, no meu crescimento. Estava sempre ali, para brincar, dar comida, chamar para fazer o dever, levar para viajar nas férias, bater perna no centro atrás de fantasia, esconder aquela arte da minha mãe...

Outras muitas vieram. Minha madrasta, sempre ali, um apoio certo e firme, minha ex-terapeuta, que me apoiou e foi meu porto seguro tantas vezes, minha professora de faculdade Alexandra Tsallis, que mostrou que o amor também poderia ser um objetivo profissional, minha grande amiga e parceira de vida, Claudia, minha tia Bia, que segura tanto a minha barra com a Malu, e ainda vai segurar, hein!!! hehe

São tantas mães que apareceram na minha vida que se eu tentar falar de todas não vou conseguir.

Porém, queria agradecer aqui àquelas Fadas-Mães, que possibilitam que sejamos mães de nossos filho, que sejamos cada dia mães melhores!

Minha querida parteira Heloisa Lessa, que tem que ser muito mãe para estar ali, presente, horas a fio, o momento que for. Que aguenta nos ver sofrer como aquelas mães que sabem que nem sempre o mais fácil é o melhor. Que aquece inúmeras bolsas de água quente com a mesma dedicação. Que atende o celular a hora que for e corre ao nosso chamado. Que massageia nossa vagina para amparar nosso filhos, que sente nossos odores (de coco inclusive! É galera, ossos do ofício!), que nos toca no mais íntimo, como só nossas mães se dispõem a fazer.

As maravilhosas pessoas que trabalham com apoio a amamentação (onde eu me encaixo também!)e que nos ajudam nessa árdua e maravilhosa tarefa de nutrir nossos filhos de corpo e alma. Porque só quem já teve o seio rachado, ou empedrado, quem já teve mastite ou baixa produçao, entre tantas outras dificuldades, sabe o valor que uma ajuda tem nessas horas!

Aos pediatras, ligados 24hrs por dia, para atender as nossas dúvidas mais loucas e nossos medos mais profundos!

E as maravilhosas mães, que se dispõem a ajudar outras tantas mães a serem melhores e assim, podendo crescer mais ainda. Aqui estão tantas mães maravilhosas que conheci na nossa Blogesfera Mamífera e na lista BestBaby. Mulheres cheias de fibra e incertezas, que apoiam e se apoiam, que ensinam e aprendem, e que sempre são capazes de compreender as questões de uma mãe!

A todas vocês, que mesmo não sendo minha mãe biológica, em algum momento foram minhas MÃES !! (Ou ainda são, né?)

Vou deixar aqui um videozinho Lindo que encontrei no Blog da minha amiga Fabíola .

Espero que vocês curtam tanto quanto eu!!

Bjs

domingo, 9 de maio de 2010

FELIZ DIA DAS MÃES!!!!!!

Nesse dia das mães quis fazer uma homenagem a um momento que eu e minha filha dividimos diáriamente.

Acredito que a amamentação nos aproximou enormemente, sendo mais uma ferramenta para fortalecer o nosso vínculo.

Porém, amamentar não é só alegria. Tem dias que estou cansada, doente, muito ocupada com outras coisas, ou que estou simplesmente precisando dormir e,nessas horas, amamentar é um SACO!!! Verdade, estou sendo muito sincera!

Mas em compensação.... tem momentos tão gostosos, de tanta entrega, relaxamento, amor... Quando parecemos ser uma só, quando ela solta um sorriso, quando ela olha toda feliz e pede mamá, são tantas alegrias que neutralizam o cansaço.

Acho que tudo na vida é assim, tem dois lados, e quando estamos com saldo positivo é sinal de que estamos curtindo muito.

Vou deixar para vocês um pouquinho do que tem sido nossa relação com a amamentação durante esses 18 meses!!!


segunda-feira, 3 de maio de 2010

Os bebês indianos e a "vaquinha" !

Bom, depois de juntar os meus cacos após o último post, estou aqui novamente!! (eu ouvi um EBA! por ai? Hein, hein?)

Ontem aproveitei que a baixinha dormiu cedo e fui estudar um pouco, o Dani também foi dormir e eu deixei a TV ligada, pois só Deus sabe a sensação de liberdade de uma mãe ao poder escolher o que quer assistir na TV - e estar acordada para compreender o que se passa.

Sabe como é, domingo à noite, nada de bom passando... até que Tcharam!!!! Começou um Documentário no GNT. Eu AMO documentário e, para melhorar, era sobre maternidade, não tive como me conter e fui assistir.

Era um documentário sobre barrigas de aluguel na Índia.

A pouco tempo havia rolado numa lista que participo uma discussão sobre barrigas de aluguel, muitas mulheres falaram que aceitariam sem pensar duas vezes gerar um bebê de alguém, que achariam maravilhoso parir por si só, sem ter o bebê no final. Eu, que nunca havia pensado muito no assunto resolvi assistir.

O documentário era de 2009, SUPER ATUAL!!!

A história que ele contava era a seguinte: A Índia anda despontando como "mercado de bebês" devido ao baixo custo de, digamos, produção e a legislações que facilitavam todos os tramites para o registro dos bebês.

O documentário mostrava que com apenas 20 mil dollares era possível "produzir" um bebê na Índia. Segundo eles, nos EUA o custo de uma barriga de aluguel não sairia por menos de 150 mil dollares!!!!!!! Por isso, a Índia estava sendo procurada por Americanos, Europeu, Japoneses e, inclusive, Indianos.

Os futuros pais entram em contato pela internet com a clínica, que seleciona a mãe que irá gestar o seu bebê (existe a opção de usar um óvulo doado ou da "compradora"). Você vai até à Índia, recolhe seu esperma e óvulo, faz a fecundação in vitro e implanta na caixa de correio, digo, no útero "alugado". A partir dai a vida continua. Os pais biológicos voltam para suas vidas e o "útero alugado" tem a opção de morar num albergue de "úteros alugados" para que a comunidade não saiba que a mulher está gerando um bebê que não é dela e não seja tratada como uma prostituta.

Enquanto moram no albergue, os "úteros alugados" dormem em quartos compartilhados com o mínimo de higiene básica, e recebe 20 dollares por mês!!!! Se tudo der certo e o "útero alugado" conseguir gestar um bebezinho que sobreviva, recebe 5 mil dollares. Porém.... se o "útero alugado" perder seu inquilino antes da hora e ele não sobreviver, ou se o "útero alugado" sucumbir e falecer, nada de 5 mil dollares galera!

E então, a compradora, digo, a mãe biológica, se tudo der certo, é indagada sobre qual dia ela quer que o filho nasça e então é feita a cesariana.

À dona do négocio resta lucrar em cima da miséria alheia, alegando que "ter filhos é o papel da mulher na sociedade e o que estas mães fazem é possibilitar que o milagre da maternidade alcance àquelas que não podem gestar seus bebês. Que elas se sentem realizadas por poderem ajudar outras mulheres e que o dinheiro irá mudar a vida delas ( o que deve ser verdade em se tratando de miséria absoluta)."

Ao "útero alugado" resta chorar a dor do filho perdido, a vergonha de ter se vendido por dinheiro, a geladeira cheia por um ano (àquelas que tem geladeira, claro) a recuperação dolorosa da cesárea, o seio estourando de leite e o vazio no peito.

À compradora resta um lindo bebê rosado e de olhos azuis gerado por uma indiana. Resta a felicidade pela chegada do filho e as indagações (daquelas minimamente conscientes) sobre como lidar com esta história.

E ao produto, o que lhe resta? Imagina passar todo o seu desenvolvimento escutando alguém falar com você com uma língua, sentindo aqueles sentimentos, saboreando aquelas comidas, cantando e dançando naquela cultura e de repente.... Plin! Tudo muda.

A exploração da pobreza nos leva a extremos.

A Mãe Norte Americana que aparece no documentário usava um sling que custou mais do que o que foi gasto para manter o útero que gestou seu próprio filho. Será que ela sabe disso? Será que ela se importa com isso? Será que esses míseros 20 dollares eram suficientes para gestar seu filho com saúde, com uma boa nutrição?

Havia também um certo estátus dentro do albergue de "úteros". Tinham aquelas que gestavam bebês Europeus, e aquelas que gestavam bebês Indianos. Haviam aquelas que viviam disso, e a que usou o dinheiro para comprar um taxi para o marido, que hoje já tem dois e mudou o futuro da familia.

Fiquei me questionando, qual será a língua materna desse bebê? Quem será sua figura de mãe? Quais serão as experiências que ele reconhecerá como acolhedoras? Qual a energia que o gerou? Como se sentiu esse "útero alugado", e que emoções esse bebê recebeu?

E ai comecei a pensar no que valorizamos hoje como maternidade. Será que valhe tudo para termos um bebê com nossa carga genética? Será que o dinheiro pode comprar tudo, inclusive a maternidade? Será que valhe tudo para nos sentirmos mães? Será que o estado de miséria permite tudo, e que qualquer negócio é jogo para aquele que nada tem?

E ai lembrei da Bruxa do 71, ou melhor, da promotora que estava em processo de adoção da menina de 2 anos. Imagino o que pensou cada um dos responsáveis pela autorização de adoção da menina, algo como: Essa menina ganhou a sorte grande, será adotada por uma promotora que mora em Ipanema, poderá conviver com alguém que minimamente valorizou os estudos, tem condições financeiras para manter a menina muito bem... Sei lá, posso imaginar mil motivos que os fizeram pensar que aquilo era sorte grande. E então acontece o que aconteceu....

De novo a miséria foi explorada, a menina pobre seria a nova Cinderella, nas mãos da madrasta má.

quinta-feira, 29 de abril de 2010

A psicologia e a maternidade.


Hoje minha cabeça está ecoando.

Verdadeiramente acredito que a vida de todo mundo tem um tema. Sério, acho que tem gente que o tema da vida é o trabalho, outros que é o dinheiro, outros o reconhecimento, outros o prazer e outros, no caso eu, a maternidade.

Outro dia li um texto do Winnicott que falava isso. Dizia que, se uma pessoa vivesse o bastante, seria capaz de ver em toda a sua tragetória o tema de sua vida, uma motivação que apareceria na sua vida pessoal e também na profissional.

Assim, acredito que a minha motivação é a maternidade. AMO esse tema, e vivo ele desde sempre.

Não é de se surpreender que esse tema me dê muito trabalho, dele saem minhas grandes alegrias, mas também minhas dores profundas. Então, se eu estou em terapia, falo sobre ele 95% do tempo.

Acontece que acho tão dificil me sentir compreendida pela psicologia quando se trata das minhas escolhas como mãe. E hoje tive um dia verdadeiramente difícil na terapia.

Tenho sido acompanhada por uma terapeuta maravilhosa há uns 7 anos, mas desde que minha filha nasceu, a terapia parou de fluir. Tenho achado muita dificuldde em dividir meus questionamentos como mãe, muito disso acho que se deve ao fato de fazer escolhas tão diferentes do padrão, porém também venho pensando muito em como a psicologia, que eu conheço, me parece tão antiquada quando fala sobre maternidade.

Então hoje, no meio da minha sessão, percebi o quanto eu e a psicologia estamos distantes.

Estava comentando sobre minha tentativa de desmame noturno e sobre o fato de Malu ter tido febre neste momento. Comecei então a ser indaga pelo fato de ainda amamentar minha filha, escutava perguntas como : "Será que você não está é de saco cheio de amamentar e não quer parar logo, mas não quer assumir isso?", "Será que ela realmente precisa mamar?", "Mas qual valor nutricional o leite ainda tem para ela?", "Mas a alimentação sólida dela já não é o suficiente, para quê continuar amamentando?" "Ela já tem 1 ano e meio, para quê continuar isso?"...... E por ai vai, a cada resposta minha, mais um questionamento era levantado, porém, eram sempre questionmentos negativos, que levavam a um caminho no qual eu deveria aceitar o desmame como solução.

As minhas respostas eram : Que eu gostaria de tirar o mamá da madrugada porque me cansa, mas as outras mamadas não me incomodam e eu não sinto vontade de tirar, se ela vai desmamar completamente se eu tirar o mamá da madrugada, ok, mas se ela não desmamar, ok também, esta ainda não é uma questão para mim. E sim, eu acredito que o leite materno ainda tem muita importância para ela, tanto nutritiva como emocionalmente e, se ela ainda quer mamar e eu estou disposta a dar, que mal pode haver????

Depois de me sentir num tribunal da inquisição pelo simples fato de desejar amamentar minha filha de 1 ano e meio no meu seio, tentei mudar o assunto falando que a amamentação não era, para mim, uma questão que eu precisasse tratar em terapia, pois estavamos bem e não me causava mal estar pensar em amamentar ainda e muito menos se a Malu parasse de mamar por desejo próprio. Porém, abri minha grande boca e falei que o fato de não conseguir deixar Malu dormindo sozinha em outro quarto durante a noite toda era sim uma questão na qual eu me sentia implicada emocionalmente.

Pronto.... ai o mundo caiu!!!

Como que minha filha, com 1 ano e meio, não dormia sozinha em outro quarto????? Ain!!! Porque eu fui falar sobre isso?????!!!! Poxa, eu estava em terapia com essa pessoa há 7 anos, tinha sido tão importante para mim, não pensei que ser verdadeira fosse causar uma crise na minha terapia.

Fui sincera e falei que me tranquilizava o fato de sentí-la fisicamente ao meu lado durante a noite e que, ao mesmo tempo, me batia uma paranóia muito louca de que, se ela ficasse sozinha no quarto dela, ela ficaria vulnerável, algo ruim podia acontecer. Gente é sério!!! Juro que penso que alguém pode entrar aqui em casa e roubar meu bebê (não que eu racionalmente ache isso lá muito viável), sei que é loucura, viagem total, mas afinal eu estava falando isso para minha terapeuta, então é porque eu sabia que isso era piração, se eu achasse que isso era fato eu falava nos jornais, certo?

Ai é que o tempo fechou.

Ela começou a me questionar dizendo que minha filha estava fazendo o papel de minha mãe, pois estava "tendo que dormir comigo" (coitada da minha filha, ela deve detestar mesmo dormir com a mamãe aqui) para me deixar segura durante a noite. Falou que eu estava sendo paranóica e prejudicando minha filha, pois ela ia ficar paranóica também, que nunca ouviu falar em mães que tivessem essa questão, que pensar que alguém podia entrar na minha casa não era normal.

Quando eu tentei ponderar que muitos estudos antropológicos falam sobre os mamíferos dormirem junto com seus filhotes, ela ironizou e disse que não somos macacas!!!! Nossa, que raiva!!!!!!!! Eu falei que não somos macacas, óbvio, mas que esse comportamento era presente nos homens primatas e ainda é em muitas culturas e que o fato de não sermos macacas não nega nossa "mamiferidade" (acabei de inventar, não sei como colocar isso em outro termo).

Bom, o fato é que ela disse que eu estava submetendo minha filha à minha paranóia. Mas sabe, isso eu não posso negar!! Como mãe eu submeto minha filha a muita coisa (ou quase tudo?) pois ela ainda é um bebê. Eu decido como ela vai ser educada, o que ela come, quando, com quem se relaciona, se vai para a escola, se vai ao médico, se toma ou não a vacina H1N1.... E, também, eu submeto ela aos meus defeitos. Sou humana antes de ser mãe, sou um poço fundo de defeitos. Claro que almejo a perfeição, que mãe não faz tudo para ser perfeita e sofre com toneladas de culpa por não atingir o inatingível? Nunca ouvi uma mãe falar: " Sabe, meu filho gosta muito de banana, por isso que eu só dou abacaxi, afinal, ele tem que aprender que eu não sou perfeita!".

Eu almejo sim a perfeição e me frustro para caramba, mesmo sabendo que ela é inalcançável. Acho que é por isso que gosto tanto de Winnicott, por que a gente precisa mesmo escutar muitas vezes que nossas falhas são fundamentais para o desenvolvimento saldável dos nossos filhos e que, por mais que façamos, sempre seremos SUFICIENTEMENTE boas, nunca perfeitas!

Acho que é por isso que muitas mães fogem da terapia, algumas tentam pôr seus filhos, de 4, 5 anos em terapia, mas elas mesmas, correm como o diabo da cruz. Hoje eu entendo , afinal, hoje também sou mãe.

A psicologia tradicional vem com todo aquele ar de boa moça para cima da gente, cheia de respeito às diversidades, borbulhando em empatia, mas será que a realidade é essa? No mesmo tempo em que nos mostram que não existe mãe perfeita, mas sim a "Mãe suficientemente boa", ela nos cobra perfeição. Quantas vezes não escutamos prescrições de que devemos amamentar, pois se não amamentamos podemos causar danos nos nossos filhos, mas não muito, pois o bebê vira dependente da mãe e isso não é bom; que cada um precisa ter o seu espaço, a sua individualidade preservada e o bebê deve dormir no quarto; que as mães devem desde sempre dar limites aos seus filhos e tantas outras prescrições...

Vejam bem, não estou dizendo que isso ai em cima é errado, mas também não acho que seja O certo, caramba!

Qual o problema se você acha que seu filho não precisa ir à escola até os 3 anos?? E qual o problema se você acha que 6 meses de licença maternidade é muito e deseja voltar a trabalha quando seu bebê tem 3 meses?

O que é melhor, deixar com babá, ou por na escola? Deixar dormir na cama, ou no berço? Dar chupeta ou deixar chupar o dedo?

Putz, NÃO TEM RECEITA!!!!!!!!!!!!! Nada na maternidade tem receita e todas as escolhas que tomamos fala sobre quem somos, sobre nós, que apesar de tudo, somos AS MÃES!!!!!

Se o fato de eu ser paranóica faz com que eu submeta minha filha à minha paranóia e ela permaneça dormindo na minha cama por enquanto, será que eu estou sendo tão perversa assim??? Será que ela não pode estar curtindo também dormir aqui, com os pais?

Depois minha terapeuta diz que eu é quem estou tentando ser perfeita!!

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Sobre doença, hotel e Maria......

Malu está doente.

Putz, como me dói escrever isso!

Em um mês essa é a segunda vez que Malu tem uma tal de Laringite Estridulosa (vulgo tosse de cachorro).

Na primeira vez foi um terror, acordamos com Malu tentando respirar e fazendo um barulho terrível, mal conseguia falar a menina. Tossia uma tosse esquisitissima e vomitou de tanto tossir.

Tão estranho que só foi o tempo de vestir uma roupa por cima do pijama e correr para um D'Or da vida.

Às 04:00 da manhã estávamos lá, fazendo nebulização com ADRENALINA e tomando um remédio sinistro. Foi a primeira vez que paramos num pronto socorro e a pediatra da Malu concordou com a medicação, não havia mais o que fazer no momento. Depois que saímos de lá voltamos para os remedinhos naturais e aos poucos Malu melhorou.

Agora estamos nessa agonia de novo. Semana passada a tosse de pitbull voltou com força, dessa vez não corremos para o pronto socorro. Ao menor sinal de que ela tinha voltado começamos o tratamento novamente e estamos nesse momento Tosse-choro-catarro-mais tosse- mais choro.......

De dia Malu fica maravilhosa, brinca, come, corre, vai para a escola, tudo tranquilo, mas quando a noite chega.....Ela não dorme por nada, a tosse incomoda e não deixa e se ela não dorme.....

Nos dois momentos em que ela ficou doente um coincidência pesa na minha cabeça. Nos dois momentos havia uma separação nossa. Na primeira vez eu estava num trabalho que me consumiu bastante e nos afastou um pouquinho. Agora, a crise veio quando eu tentava tirar o mamá da madrugada.

Ok, ok, nos dois momentos o tempo deu uma virada, mas sabe como é mãe, né?! Culpa, oh culpa!

Nossa, e esses momentos de doença são punk, né?! Não sei mais o que é dormir!!! Tem horas que bate um desespero, um cansaço terrível, misturado com um mal humor que dá medo. Nessas horas vejo como é difícil ser mãe, porque Malu gruda, suga todas as minhas energias, tudo sou eu, não há trégua. Bate vontade de fugir correndo, lembro de uma amiga de lista de email que conta que certa vez foi capaz de vizualizar a si mesma largando todos para trás e indo para um hotel, DORMIR!!!!!

Mas eu fico, assim como essa minha amiga ficou. Sei o quanto ela precisa de mim, e o quanto eu preciso dela bem. Me entrego ao cansaço, dou o que nem sei mais se tenho para dar. Viro cama, restaurante, parque de diversões, aconchego e remédio. Isso mesmo, porque remédio melhor que MÃE tá para ser inventado.

E nessa hora eu penso em como é dificil escolher ser mãe. Como sabemos pouco sobre a maternidade quando somos só filhas.

Ser mãe foi uma mudança radical para mim.

Como diria Maria: " Existe uma história Antes de Cristo e outra, bem diferente, Depois de Cristo!"

domingo, 25 de abril de 2010

Oba,Feriado!! :(

Então o feriado acabou....E parece que a idéia de desmame noturno foi embora junto com ele.

Na segunda noite de desmame noturno o tempo virou, Malu veio dormindo da casa da vó e não teve seu mamá de dormir e..... teve febre!! 38,7!!!

Isso mesmo, Malu teve febre de 38,7 justamente quando não mamou. Sei, sei, muitos de vocês podem pensar que estou exagerando e então eu vou detalhar o que aconteceu.

Malu veio dormindo no carro e meu marido perguntou se eu daria mamá para ela quando acordasse, pois, afinal, ela não tinha tomado o mamá de dormir o qual teria direito. É extamente o que parece, meu marido não é um fã incondicional do desmame noturno, por mais que ache que Malu PRECISA dormir a noite toda!!

Eu falei que não, madrugada não tem mamá e ponto final.

E então a madrugada começou a chegar. Malu deu uma acordadela e o Dani foi ver como ela estava. Achou ela quente. Neste tempo ela acordou mais, tossindo e tal e eu fui ver. Estava com 38,7 e uma tosse alergica que estava dando as caras pela segunda vez (mas que nunca tinha dado febre antes!!).

Fiquei arrasada! Malu ficar doente no meio do desmame noturno não estava nos meus planos...(ok, filhos doentes NUNCA estão nos nossos plano!). E agora, o que eu deveria fazer??? Ela estava com febre e pedia para mamar!!! Tentei me fazer de forte, mas o Dani me pediu para dar o peito á ela. E então.... No mesmo momento a febre foi embora. Não demourou 30 minutos, nem 10, nem 5, mas NO MESMO INSTANTE nada de febre!!!!!

Como isso mexeu comigo.... Minha pequena arrasada, querendo seu mamazinho, ficando abalada por não ter o seu mamá, que tanto a reconforta no meio da noite....

Fiquei tão triste... Mal mesmo. Foi uma mescla de frustração por não poder, pelo menos agora, levar o plano de desmame a diante e de ter abalado tanto minha bebê ao tirar seu mamazinho.

Hoje fico pensando, será que a idéia de ter escolhido um feriado para começarmos o desmame noturno foi ruim?? No feriado ficamos tão fora da rotina, estamos passeando, dormindo em horários diferentes, em lugares diferente, eu acabo aproveitando para deixar Malu com alguém e namorar um pouco.... Talves esse não seja um momento propício para mudanças. Talves eu tenha focado mais em mim e no Dani, que estaríamos mais descansados, mas e ela? Cheia de mudança na rotina e mais essa pancada para lidar...

Acho que o desmame ficou adiado. Quem sabe ela não passa a dormir a noite toda por um milagre??? Não custa sonhar, quando eu conseguir dormir tempoo suficiente para sonhar, né?!!! hehe)

Ahh!! E para quem não tinha lido a integra, eu não pretendo desmamar minha bebê totalmente ainda não!!! Só queria uma noite de sono ininterrupta!!!

sexta-feira, 23 de abril de 2010

E era uma vez um mamá....


É isso!!

Essa semana decidi boicotar a festa do Mamá na madrugada!!

Depois de ficar só o pó da minha pessoa, acordando uma média de 10 vezes por noite resolvi encarar o desmame noturno.

Como essa decisão foi difícil para mim....Durante a madrugada eu não sou ninguém!!!! E dar o peito era uma maneira de faz~e-la voltar a dormir sem ter, aparentemente, muito trabalho. Era quase um "Cala-boca!", com o perdão da expressão.

Para o desmame noturno eu teria que assumir ficar acordada, ativa, quando ela acordasse. Adiei o máximo, me apegava á idéia de que ela passaria a dormir a noite toda sozinha e, ai, eu não precisaria virar a bruxa má, quer dizer, tirar o mamazinho dela.

Bom, 1 ano e meio e nada de noites inteiras de sono. E aqui estou eu, numa atitude desesperada, mas bastante pensada.

Resolvi aproveitar o feriado que o papai estaria em casa e poderia ajudar de alguma forma nessa empreitada.

Ontem foi nossa primeira noite. Malu já não mama mais durante o dia há algum tempo, e nem pede, mas mama para dormir e mamava (pensamento positivo sempre!!! hehe)na madrugada até acordar.

Bom, coloquei ela para dormir, como de costume, dei o mamá e falei que agora só daria de novo de manhã. Ela chorou quando eu falei isso, mas logo foi mamar e dormiu.

Fomos jantar, vimos um filminho e Pimba! A saga começou. Malu acordou, o pai foi tentar resolver, ela ficou ainda mais nervosa e eu entrei na jogada. Deitamos os três e ela logo pediu o mamá. Falei que só de manhã, que era hora de dormir, abracei ela bem coladinha e comecei a cantar "Boi, Boi, Boi, Boi da cara preta....." e ela dormiu.

Voltamos ao filme. 30 minutos depois tudo de novo. Voltamos ao filme. 20 minutos depois... tudo de novo....Blá blá blá filme.... Blá blá blá "da cara preta...." ....Blá blá blá filme...

Bom, desisti do filme e fui deitar. Ela continuou acordando, eu abraçava e cantava. Em certo momento ela pediu água, tomou bastante e voltou a dormir. A partir dai começamos a alternar entre a água e o boi.

As crises eram rápidas, entre 2 e 5 minutos ela já voltava a dormir, mas a frequência.... Ai ai ai...Posso dizer que passei a noite toda dando tapinhas no bumbum, cantando e oferecendo água.

Em algum momento as acordadelas se espaçaram e eu pude até sonhar!

Ela acordou ás 07:20. Dei mamá e entreguei para o pai, que tb não dormiu muito bem, mas dormiu um pouquinho mais. Ele catou a pequena, deu café da manhã, brincou de massinha e levou para passear.

Eu pude dormir até ás 10:30!!! E ele ainda está com ela para eu poder tomar meu café e relaxar um pouquinho.

Bom, vamos ver como será a próxima noite. Façam suas apostas!!!

Bjinhos, Gabi