terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Educar é sentimento?



Hoje Malu termina o seu primeiro ano letivo!!

Quanta história, quanta vivência, quanto crescimento!!!

Sempre pensei em colocar Malu na escola que ela estuda, lembro de barriguda ligar para a escola para saber com qual idade ela poderia ser matriculada. 1ano e 6 meses. Caramba, aquilo parecia uma eternidade.

(Só um parênteses, mãe de primeira viajem é muitooooo ansiosa, para que eu precisava ligar para a escola se ainda tava grávida??? Mas vai explicar isso para a buxuda aqui!!)

A verdade é que eu adorei estudar lá, meu irmão adorou estudar lá e eu queria poder proporcionar o mesmo para a Malu. Já meu marido, havia estudado a vida toda em escolas tradicionais e tinha detestado todas elas, então o jogo estava quase ganho, já que de tradicional a Oga Mitá não tem nada - ou será que podemos dizer que ela tem a tradição de ser diferente? ;P

Bastou uma visita e voilá, matrícula realizada e pai vestindo a camisa.

Malu parece ter uma sincronia bem sinistra comigo, foi ela perceber que eu amava a escola que Plin-* A adaptação foi moleza.

Mas e a nossa adaptação, cara pálida?? E não é que tivemos adaptação para os pais, calma, não era nada formal, mas aos poucos fomos criando lista de email, encontros de integração, passeios com a familia. E tudo foi incrível, a galera se desdobrava e se fazia presente, todo mundo aberto, assim como as crianças, para fazerem novos amigos.

Devo assumir que para mim foi um pouco dificil, sou meio tímida, mas como acho que pai que é pai tem que fazer valer o título, lá ia eu, desbravando o mundo de "pais-professoras-amiguinhos...", terra ainda desconhecida para a mãe de primeira viagem aqui!

E como foi tudo maravilhoso, como nos sentimos acolhidas, bem-vindas. Valeu cada reunião, cada aniversário, cada passeio, cada troca de email, cada vaquinha de presentes.

E para fechar o ano ainda tivemos um BIG presente. Fomos convidados para apresentar alguma atividade para as crianças da educação infantil!!! A proposta foi sendo aceita por cada pai, pouco a pouco íamos nos preparando, dividindo as tarefas, fazendo ensaios na escola.

Era engraçado quando conversáamos com alguém sobre o teatro do fim do ano da escola da Malu, todo mundo perguntava o que ela iria ser e então se surpreendiam com o fato dos atores serem nós, os pais!!

Vocês não tem idéia da animação que foi, vários ensaios, compra máscara, tira foto, repete tudo, toca de novo... Enfim, a galera toda suou a camisa, mergulhou fundo na proposta (estamos até agendando novos shows, brincadeirinha...).

Mas havia uma dificuldade, a apresentação seria em dia de semana e no horário escolar. Então além de ensaiar seu bicho a galera ainda ia ter que rebolar para organizar uma possível fugidinha para estar na hora do teatro.

Sabe o que foi incrível? Um por um foi conseguindo, a coisa foi fluíndo, quando o pai não podia, a mãe conseguia, ora podiam os dois... Enfim, a bicharada foi se reunindo.

No dia do teatro foi possíel ver o sacrifício de cada um, o aperto do horário, o celular tocando, cada um que chegava era uma vitória, e a coxia foi enchendo, a animação foi tomando conta a preparação ganhava os retoques finais. E então aconteceu algo que mexeu comigo (não, não foi o neném que chutou, engraçadinhos!).

Um único aluno não teria representante, o horário realmente era dificil, talves a avó fosse no lugar dos pais, mas nem isso estava certo. Sabe quando aquilo fica lá no fundo, dando um aperto no peito? E então vemos entrar um homem na coxia, roupa de trabalho, meio sem jeito, talves intimidado com a união dos outros pais. Foi então apresentado à nós pela professora.

Era o pai do tal aluno!!! Ele veio, a criança teria o seu representante, a turma toda estaria representada. Não me contive e uma lágrima rolou. Sabem aqueles filmes de milagre no natal? Eu vi acontecer! Sei que no fundo me emocionei não pelo aluno, mas por mim, por todas as vezes que me senti de lado, diferente dos de mais, aquela lágrima me lembrou todos os passeios que eu não fui, todas as reuniões que meus pais não foram, todos os eventos escolares que perdemos... Naquele dia o pai estava lá!

Talves sejam os hormônios da gravidez, a minha história de vida, o amor que eu sinto pelos meus filhos, ou tudo isso junto. Mas ver aquele pai chegar, sem máscara, sem ensaio, sem nos conhecer direito, vestir uma máscara emprestada, de um animal que nem teria lugar originalmente na música e participar do espetáculo foi muito forte para mim. Se a Oga Mitá fosse um sentimento, aquilo seria Oga Mitá para mim!

Queria de coração aproveitar o blog e agradecer à escola, à coordenação, às Professoras Valéria, Déborah e à Isabel, aos pais, familiares e, principalmente,amigos, que puderam me proporcionar mais uma forma de demonstrar o imenso amor que sinto pela minha filha. Agora, mais do que nunca eu sei, EDUCAR é possível!

"(...)Se eu tivesse mais alma pra dar
Eu daria, isso pra mim é viver. (...)" Djavan


*Imagem: Bicharada reunida depois da apresentação.

14 comentários:

claudia silveira disse...

que lindo...sem palavras...
bjus, Claudia Silveira.

vale disse...

Gabi, vivi um ano repleto de emoção com os nossos pequenos.
Quando penso que tudo terminou e bate a saudade, leio o que você escreveu repleto de poesia da vida vivida e me emociono novamente.
Foi muito bom participar da história da Malu e ter vocês na minha história!
Um beijo,
Valéria

sofia-educarcomcarinho disse...

Me emocionei com o seu post. É lindo de mais ser mãe, né?

e Educar é isso mesmo sentimento: Amor, carinho, dedicação...

Um beijo

Fernanda disse...

Ah, Gabi, isso não se faz!
Qdo eu penso que já chorei tudo que tinha pra chorar a respeito de todo esse ano de novidades e descobertas para mim e para o Vini, você me faz isso!!!
Eu tb me emocionei muito qdo vi que o time estava completo!
Valeu cada minuto, cada troca de e-mails, cada ensaio, enfim, tudo que envolveu não só nossa mega apresentação, rs, como cada minuto que o Vini passou na Oga Mitá.

Um grande beijo!


http://noticiasdevinicius.blogspot.com

Ioly a dona do verdades... disse...

Como faz diferença para os pequenos essas pequenas atitudes.
Se você lembra do seu tempo, também ficará marcado para Malu, na parte das recordações felizes.
Lindo ver pais unidos dando tudo que pode em prol de um sorriso.

(Mamãe) ~Pinel disse...

Até eu me emocionei ao saber que o pai da criança foi! Também me lembrei das vezes que eu era 'deixada de lado' por conta de assuntos pessoais (normalmente trabalho) dos meus pais!!!

A idéia dos pais apresentarem é muito bacana!! Quero ser uma mãe assim para a Lara, que se vira em 1000 para poder estar ao lado dela sempre, a fazendo feliz!
É muito bom saber o quanto você está satisfeita com a escola de sua filha! Realmente parece ser uma conquista e tanto para você vê-la estudando lá!

Beijo!!!

Minha Filha Minha Vida disse...

Bom dia .... su nova ainda neste lance de blog mas passeando de história em história cai aqui no seu e queria dizer que a sua filhota é LINDA que adorei a super sinceridade em dizer que ganhar nhabenta era d+ rsrsrsrs (tb não sou hipocrita) parabéns pelo bebê que esta a caminho e força por todas as esterias que nos acompanham neste momento um tanto quanto delicado, rsrsrs ..... queria dizer que me emocionei muito com a historinha do papi que conseguiu chegar Meu Deus qui lindo realemnte um milagre natalino .... vou te seguir e se quizer me conhecer e conhecer e acompanhar nossas aventuras será um prazer para mim .... Beijos Sii a mamãe da Isabela

Genis disse...

Gabi,

Que o amor de Jesus invada os nossos corações nesse Natal e que o próximo Ano Novo, seja um ano de paz, saúde, prosperidade, alegria e realizações.
Um forte abraço, da amiga Genis.

http://www.blogdagenis.blogspot.com/
http://redeeducacaoemfoco.blogspot.com/
http://mamaegenis.blogspot.com/

Chris Ferreira disse...

Oi Gabriela,

Que o Natal de vocÊs tenha sido especial, cheio de alegria e união. E que 2011 seja cheio de sonhos realizados.
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Beca Bricio - Mulher que pariu disse...

Gabi, realmente o Oga mitá é uma escola que faz toda a diferença.

Temos muita vontade de colocar o Gui lá e está quase decidido já.

Claro, que se quando chegar a época dele entrar lá eu estiver trabalhando ele vai e pronto!!! hehehe, vc me entende!!!!

Ain, será lindo os priminhos no mesma escola, já pensou que máximo!!!

querida, um super beijo na barriga do futuro priminho do Gui ainda sem nome, na Malu a mais princesa de todas, em vc e no Daniel!

Flávia disse...

oi ana!
caramba, há muito tempo dou uma fuxicada aqui de vez em quando, mas hoje vendo que vc botou a malu no OGA MITÁ me deu uma vontade sem igual de comentar...

tenho a mesma vontade: assim que tiver um filho, botar ele no oga! noites na escola, festa de ex aluno, tribo de indio, musica, teatro, jogo dos numeros, pique bandeira, viagem pra minas... SENSACIONAL. a melhor escola que eu poderia estudar.

beijo pra vc na filhota!

flávia labanca.
ximinins manhã. ;)

Mamãe pela 2ª vez disse...

Fiquei emocionada.
Queria eu que meu filho estivesse em uma escola assim.
Adorei o blog.
bjus

Grávida do milagre!!! disse...

Amei seu blog e estou seguindo!!!
Parabéns pela sua bençãooo!!
Bjãooo

Aline Souza disse...

Nossa! Relato fantástico, emocionante!

"O milagre do Natal", também me vi ali, assim como vc...Mas enfim o final dele foi feliz.

Daqui a pouco será a minha pequena Joana (ainda com 3 meses), espero ter a sorte de encontrar uma escola tão boa quanto a sua.

Adorei seu blog, sou nova por aqui, faça uma visitinha...

http://fasesdavidasouza.blogspot.com/