sexta-feira, 3 de julho de 2009

Gravidez, a hora de ser feliz!!

Bom, se você ainda está precisando de uma desculpa para seguir o caminho da felicidade aqui vai uma das boas!!

Imagine a cena: Você está ali, com aquelas duas LINDAS listrinhas na mão. Positivo. Dentro de você começam a surgir inúmeras emoções e é mesmo provável que já esteja sentindo as alterações hormonais em forma de enjôos, salivações e cólicas. Mas se concentre mais, lá no fundo, no ventre materno pulsa uma sementinha, minúscula e brilhante. A todo vapor ela cresce, se multiplica numa velocidade tal que nunca mais vai se repetir.

E então vocês começam a funcionar como uma equipe. Tudo que acontece com você passa a ser compartilhado com a sementinha, o que você come, sente, tudo mesmo. E ai vem o segredo, que de segredo não tem nada, ou não deveria ter...

Talvez não exista momento mais marcante para um ser humano do que esses momentos primordiais, o iniciozinho da vida. Aqui, neste momento, talvez esteja a explicação de muitas coisas...

E lá naquela sementinha piscando começa a se desenvolver o órgão considerado mais importante, o que mais tarde chamaremos de cérebro, e para isso é preciso, dentre outras coisas, de Ácidos Graxos, aqueles famosos Ómega3, Ómega6, Ómega9... que tanto se fala por ai.

Sardinha, Quinoa, Azeite extra virgem...Dá-lhe ácidos graxos para dentro, muitos são os alimentos que contém essa substância tão rica, material tão importante na construção do cérebro deste serzinho abençoado que cresce no nosso ventre.

E então a felicidade entra no jogo. Quando estamos felizes, além de encararmos a vida com mais leveza, tendemos a manter o nível do estresse sob controle e assim evitamos um dos grandes vilões dos ácidos graxos, o Cortisol. Cortisol é um hormônio liberado pelas glândulas supra-renais quando enfrentamos situações de estresse. Quando liberado na circulação ele atrapalha a absorção dos ácidos graxos, tão essenciais para a mãe e para o feto.

Calma, não precisa sair por ai se desesperando! A Placenta, maravilhosa como só ela, é capaz de neutralizar uma boa quantidade do cortisol, garantindo ao feto "alimento" suficiente para dar andamento à construção do cérebro. Sabia como é, a natureza já previa que uma pequena quantidade de estresse faria parte da nossa vida e criou um mecanismo para neutralizar a ação maléfica do estresse no desenvolvimento do bebê.

Mas abram passagem para a vida moderna! A mãe, feliz da vida com seu exame positivo e sua brilhante sementinha precisa seguir a vida. Chega no trabalho e, depois da sequência de parabéns e vivas pela gravidez ,é lembrada elegantemente pelo chefe que gravidez não é doença e que aquele relatório precisa ser terminado hoje, mesmo que você ainda não tenha conseguido ingerir um só grama de alimento e já sejam duas horas da tarde.

Você se lembra também que ainda precisa passar no banco para pagar "aquela" conta e vai ter que encarar uma fila imensa! Você então olha para a fila preferêncial e resolve usufruir dos seus direitos como gestante pela primeira vez. E começam os questionamentos e olhares enviesados...Grávida, sei.... Hupf!! Mais um estresse para a conta do dia.

Mas não acaba por ai, você ainda está preocupada se o seu médico vai saber respeitar o SEU momento, na nossa realidade corre um grande risco de ser assombrada com um "n" números de exames desnecessários, algumas broncas severas sobre o ganho ou a perda de peso, uma enxurrada de preocupações com os seus níveis de açúcar e pressão arterial, uma má interpretação do seu nível de ferro... E ai o estrago está feito!

Aquela gravidez linda e sonhada se torna uma tortura! Tudo é arriscado e ameaçador!!!

A cobrança sobre a sua produtividade continua alta, muitas vezes alcançado até mesmo à família, que continua cobrando a janta na hora e as roupas lavadas.

E o pré-natal, que tortura!!! A alegria em escutar o coraçãozinho batendo aos poucos é substituída pelo medo de tudo. Você começa a fazer mil exames para saber se cada minúscula parte do corpo do seu filho está se desenvolvendo "corretamente", tascam uma buzina na sua barriga para avaliar se o bebê está respondendo bem, a cada ultra você recebe a notícia que a cabeça do seu bebê parece BEM grande e que talvez você não tenha passagem, talvez também você tenha uma circular de cordão, que torna tudo mais "arriscado" ainda. Pode ser também que avaliem o seu líquido como POUCO, assim mesmo, sem nenhum índice acompanhando e que é melhor que seu filho nasça antes da hora do que depois...

Seu ganho de peso também pode ter passado do ideal da tabelinha e o seu médico pode ter te assombrado com o risco da diabetes ou pré-eclampsa se você engordar mais 1 grama. Talvez também tenha dito que você está com um pouco de arritmia cardíaca e deveria buscar um cardiologista com urgência...

Considerando que a maioria das alterações ditas são comuns de ocorrerem em gestações saudáveis, o efeito negativo está feito.

Você sai da consulta, do emprego, de casa... arrasada, estressada, cansada...A gravidez tão idealizada e desejada vira um sofrimento e você já conta os dias para ela chegar ao fim!!! Os seus níveis de cortisol atingiram picos nunca vistos!! Claro que a placenta já está exausta e não dá mais conta de neutralizar tanto estresse! E quem sofre junto? Sua sementinha!!

Aquela sementinha brilhante, que se desenvolvia de vento em polpa começa a lentificar o desenvolvimento. O ganho de peso já não é mais lá aquelas coisas...e principalmente o desenvolvimento cerebral...

Com o cortisol nas alturas a quantidades de ácidos graxos que o bebê absorve começa a diminuir, o neocortex (responsável pelo nosso lado racional, pela previsão de futuro referente às nossas ações e etc.) que nos diferencia dos animais e é a última parte a ser formada do nosso cérebro fica em desvantagem. Além disso nossa sementinha passa a aprender a viver com altos níveis de cortisol, o que pode levá-la a, no futuro, ser uma "dependente" do estresse.

E ai temos o retrato da atualidade! Estresse, violência, rotinas reproduzidas sem pensar... E aonde nós estamos nisso??? Qual o nosso papel nisso tudo??

Agora eu entendo quando Michel Odent diz que para mudar o mundo é preciso mudar a forma de nascer. Encarar a concepção, gestação e o parto como parte da natureza humana, da expressão de um organismo saudável é um caminho para a felicidade.

A informação é a alma do negócio!! Pesquise, se informe, busque a felicidade!!! Sua saúde e a do seu filho agradecem!

2 comentários:

Maria de Fátima disse...

São esses momentos que nos deixam totalmente dependentes do que chamam "evolução, progresso". Existe por parte de muitos profissionais a tendência de querer nos deixar inseguras e assim, nos induzem, a seguir aquilo que eles querem. Quase que embarquei nessa.
Mas é difícil conseguirmos ter a consciência do que realmente queremos e que isso será bom para o nosso neném.
Aí entra a informação.
Quanto mais soubermos, quanto mais questionarmos, quanto mais termos apoio, melhor estaremos e consequentemente um parto tranquilo e feliz.
E ainda bem, que foi isso que você conseguiu e mesmo com o receio de todos nós desse "desconhecido" método, nos trouxe essa florzinha linda.

Liu disse...

Lindo texto.